Atuação da Secretaria de Inovação e Desenvolvimento foi tema de evento virtual da OCB

Representantes da Secretaria de Inovação e Desenvolvimento (Sectides) apresentaram, nessa quinta-feira (27), os programas, projetos, incentivos fiscais e as políticas de desenvolvimento e ações do Plano Espírito Santo – Convivência Consciente, além das oportunidades para o cooperativismo capixaba, durante evento virtual realizado pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

A abertura do evento ficou por conta da diretoria executiva do Sistema OCB e do superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, Pedro Rigo. Entre os palestrantes estavam o secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann; a subsecretária de Estado de Projetos de Desenvolvimento Econômico, Fabrine Schwanz; a subsecretária de Estado de Competitividade, Rachel Freixo; e a assessora técnica de Energia, Mayara Lambert.

“Recentemente, fizemos a junção das Secretarias de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional e Desenvolvimento para seguir a tendência mundial de alavancar políticas com base na inovação, na ciência e na tecnologia para o centro do desenvolvimento econômico capixaba. Queremos que as empresas tragam os seus sistemas de pesquisa e inovação para o Estado, e atraiam negócios que tenham vocação sustentável e produtos de alto valor agregado”, ressaltou Tyago Hoffmann.

O secretário pontuou a importante relevância da participação das cooperativas nos Conselhos de Desenvolvimento Regionais. “A maior parte delas não está localizada na Grande Vitória e os conselhos nos permitem mensurar quais medidas são necessárias para que possamos levar desenvolvimento de forma igualitária para todas as microrregiões”, disse.

Hoffmann também citou as linhas de crédito adotadas durante o enfrentamento da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). “O Governo do Estado tem o Fundo de Aval, com R$ 100 milhões operacionalizados pelo Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo, criado a partir de aporte do Estado, e o microcrédito emergencial a juros zero, sem taxas e carência de até seis meses. Neste ano, lançamos o Fundo de Proteção ao Emprego, que tem o propósito de garantir acesso facilitado ao crédito para os setores mais atingidos pela pandemia, com aporte de R$ 250 milhões”, destacou Hoffmann.

A subsecretária Fabrine Schwanz fez uma apresentação sobre as medidas econômicas adotadas, o Plano Espírito Santo – Convivência Consciente e o painel de monitoramento. “No site do Plano ES, é possível monitorar os investimentos públicos e privados, bem como o intervalo que eles foram realizados, ano de conclusão, o valor investido em cada município, entre outras funções, de forma simplificada e com baixo grau de complexidade. Construímos essa ferramenta para dar transparência e criar uma relação democrática com a sociedade, investidores e cooperativas. O site reúne as principais informações e as metas que devem ser alcançadas até o final de 2022. O detalhamento da iniciativa pode ser acessado no site https://planoes.es.gov.br/”.

Fabrine Schwanz explicou ainda que o Plano ES atua com sete indicadores:  desburocratização, geração de emprego e renda, aceleração de investimentos públicos e privados, o monitoramento dos impactos da economia, bem como o foco em ações de inovação e tecnologia, medidas tributárias, crédito e financiamento.

A subsecretária aproveitou a oportunidade para convidar os participantes a realizarem a inscrição na terceira Rodada de Negócios do Fornecedores em Rede. Desta vez, a rodada acontece no próximo dia 10 de junho e é destinada às empresas capixabas que prestam serviços em infraestrutura e que estão em busca de novas oportunidades de negócios.

As políticas de incentivos tributários destinados às cooperativas foram discutidas pela subsecretária Rachel Freixo. Ela citou as diferenças do Programa de Desenvolvimento e Proteção à Economia (Compete-ES) e do Programa de Incentivo ao Investimento (Invest-ES), as contrapartidas, documentação exigida e apresentou um panorama geral.

“O Compete-ES registrou, em 2020, o número de 2.176 empresas vigentes e 51.079 empregos diretos mantidos, o que equivale a um crescimento de 18% em novas adesões, ou seja, empresas que ainda não estavam instaladas no Espírito Santo. Já o Invest-ES registrou 1.963 novos empregos e, ao todo, foram realizados R$ 955.271.061,27 em investimentos pelas empresas beneficiárias”, informou.

Em seguida, a assessora técnica de Energia, Mayara Lamberti, discorreu sobre o Programa de Geração de Energias Renováveis (Gerar). “O Governo do Estado tem realizado muitas ações para contribuir com o objetivo do Acordo de Paris de reduzir o aquecimento global. Dessa forma, o Gerar atua em convergência com a iniciativa, pois os eixos de atuação foram desenvolvidos com este propósito, além de diversificar a matriz energética, descentralizar o desenvolvimento socioeconômico e tornar o Estado mais competitivo. O programa também tem a premissa de reduzir as emissões de gases de efeito estufa”, destacou.


Leia mais

Leia também