Ato simbólico marca início da vacinação das crianças contra Covid-19 no Espírito Santo • SiteBarra

Ato simbólico marca início da vacinação das crianças contra Covid-19 no Espírito Santo

Foto: Raphael Marques/Secom

Em ato simbólico realizado na manhã deste sábado (15), no Palácio Anchieta, em Vitória, teve início a vacinação de crianças entre 05 e 11 anos de idade contra o novo Coronavírus (Covid-19). A imunização desse público é um processo fundamental para o controle da pandemia e segurança de toda população. A ação teve a presença do governador do Estado, Renato Casagrande, e do secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes. Com autorização e acompanhadas dos seus responsáveis legais, as crianças receberam a primeira dose da Pfizer/BioNTech.

“Nós estamos iniciando a vacinação das crianças pelo Plano Nacional de Imunização, iniciando pelas crianças indígenas, aquelas com deficiência ou comorbidades. Esse é o público dessa primeira fase. Avançamos muito na imunização da população, mas temos que avançar ainda mais. Temos um grande número de pessoas com mais de 12 anos que ainda não receberam a vacina. Pedimos sempre que as pessoas que podem se imunizem contra essa doença. Nosso esforço é para que as pessoas façam o teste. São mais de 480 locais de livre testagem no Espírito Santo. Para assim identificar o contágio e romper a cadeia de transmissão”, afirmou o governador Casagrande.

Para a vacinação desse público, chegaram ao Estado, na tarde desta sexta-feira (14), um total de 24,1 mil doses pediátricas da vacina. O imunizante foi distribuído às regionais de saúde e aos municípios da Região Metropolitana no mesmo dia, sendo realizada a divisão das doses de acordo com a estimativa populacional (público-alvo no local), bem como o quantitativo de doses enviado pelo Ministério da Saúde. A Secretaria da Saúde (Sesa) aguarda o posicionamento do órgão quanto ao envio de novas remessas para ampliar os públicos-alvo.

“A vacinação das crianças deve seguir até o mês de junho para aplicação das duas doses. Queremos vacinar rapidamente todas as crianças para protegê-las o mais rápido possível desse vírus. A vacina traz proteção para as crianças e é um ato de responsabilidade dos pais para com seus filhos”, comentou o secretário da Saúde, Nésio Fernandes.

Também estiveram presentes a vice-governadora do Estado, Jacqueline Moraes; o subsecretário interino de Estado de Vigilância em Saúde, Orlei Cardoso; além de representantes da Vitória Down, Pestalozzi, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e de secretarias municipais de Saúde.

Depoimentos

Josias Carvalho Marinho, indígena da aldeia Nova Esperança, em Aracruz, trouxe o filho Arthur, 6 anos, e a sobrinha Lucimar, 9 anos, para receberem a primeira dose da vacina contra a Covid-19. “Hoje é um dia importante para todas as crianças indígenas. Estamos muito felizes por saber que a vacina chegou também para elas”, declarou.

A moradora de Vila Velha, Raiane Gonçalves da Fonseca, estava muito feliz por poder vacinar seu filho Nicolas, 8 anos. “Desde 2020 estávamos na expectativa de que a vacina pudesse chegar para todos e também para as crianças. O Nicolas além de ser autista é também asmático, então sempre tivemos muito cuidado com ele. Agora que a vacinação chegou para ele é um alívio total porque temos a casa toda imunizada”, disse.

Ver a pequena Emanuela, 6 anos, imunizada emocionou Lorena Firmino, moradora da Serra. “Ela tem uma imunidade muito baixa, sempre suscetível a doenças, por isso a vacinação contra o coronavírus representa mais qualidade de vida para minha filha”, observou.

Vacinação das crianças no Estado

Atualmente, o Espírito Santo tem 393.089 pessoas entre 05 e 11 anos aptas para receber a vacinação contra Covid-19. Devido ao número de doses disponibilizadas nesse primeiro momento, o Governo do Estado organizou a imunização por meio de alguns grupos prioritários.

Inicialmente, serão vacinadas as crianças indígenas (que representam 397 pessoas); quilombolas; pessoas com deficiência permanente; comorbidades; e 11 anos de idade (com público de 54.685 cidadãos). Não há uma estimativa de quantas crianças quilombolas; com deficiência permanente ou; com algum tipo de comorbidade habitam o Estado.

Caso o público tenha tomado alguma vacina do Calendário Nacional de Imunização, é necessário aguardar 15 dias para receber a dose da Pfizer contra Covid-19. A segunda dose será aplicada com o intervalo de oito semanas (56 dias). Além disso, as crianças que completam 12 anos de idade entre a primeira e a segunda dose devem permanecer com o esquema de vacinação com a dose pediátrica.

Não será exigida a prescrição médica para imunização desse público no Espírito Santo, porém, os indivíduos que se enquadram no grupo de comorbidade deverão apresentar laudo que comprove a sua situação específica no ato da imunização.

A vacinação das crianças em solo capixaba está prevista para ter início em diversos municípios, ainda neste sábado (15), sendo que a implementação é realizada por cada região, assim como ocorre com os demais grupos da Campanha de Imunização. A imunização das crianças deve ser realizada em ambiente específico e separado da imunização dos adultos, conforme recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Clique aqui e confira a íntegra da Resolução CIB N° 010/2022, publicada no Diário Oficial do Espírito Santo, nesta sexta-feira (14). No texto, é possível conferir os tipos de comorbidades.

Diferença entre as doses para aplicadas em crianças e adultos

A Vacinação da Pfizer já é utilizada no esquema vacinal padrão de adolescentes e adultos e na aplicação de dose de reforço. Entretanto, os lotes destinados às crianças apresentam algumas diferenças como nos frascos, dosagem e tempo de armazenamento. Confira as diferenças no quadro (na galeria de imagens).