Atendimento remoto do Incaper agrada produtores

Com atendimento remoto desde o dia 23 de março, o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) precisou adequar suas rotinas, criando novas formas de atendimento ao público mantendo a qualidade dos serviços e a dedicação aos agricultores familiares do Espírito Santo.

“Como já alertado pelo Incaper, há um número expressivo de idosos no meio rural e nossa preocupação foi adequar nossa rotina e também a forma de disponibilizar tecnologias e manter a orientação aos agricultores familiares, que neste momento nos demandam ainda mais em virtude das mudanças e dos desafios impostos pela situação da pandemia do novo Coronavírus”, afirmou a Gerente de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) do Instituto, Jaqueline Sanz.

Uma das adequações práticas foi criar um “novo conceito” de método de Ater, possibilitando a inserção dos atendimentos e das orientações técnicas no conceito de atendimento remoto, que é feito a partir do contato do agricultor via telefone e aplicativos de mensagens. O agricultor liga ou encaminha sua dúvida e necessidade diretamente ao técnico ou à própria gerência de Ater. O atendimento é imediato. 

Os técnicos passam toda a orientação necessária, seja técnica ou mesmo sobre comercialização e acesso a políticas públicas ou demais benefícios. Caso seja algo muito específico, o representante do Incaper vai atrás da informação e retorna assim que possível, não deixando a família rural sem retorno e assistência.

“Entre os dias 23 de março – quando teve início a realização do atendimento remoto – até o dia 17 de abril, foram contabilizados mais de 1200 atendimentos, o que consideramos um número muito positivo e que demonstra pelo menos duas importantes questões: a primeira é que o atendimento ao nosso público continua, apesar de estarmos trabalhando remotamente, e isso é extremamente relevante para a gente, pois demonstra que os agricultores não abrem mão do nosso atendimento e que sabem que continuam amparados e podem contar com o Incaper. Outro ponto importante é refletir sobre o momento, aprendemos como questões colocadas na turbulência podem resultar em adaptações positivas e duradouras, pois acreditamos que esse conceito de atendimento vai continuar, uma vez que é de praxe essa relação próxima e pessoal entre o agricultor e o técnico, com orientações corriqueiras que acontecem pelos mais variados canais de comunicação”, disse a gerente.

“O Incaper segue as diretrizes do Governo do Estado, preservando a vida e o bem-estar, tanto dos servidores quanto da população capixaba, mas mantendo nosso atendimento de forma eficiente e com segurança para todos. Esse número que temos hoje mostra que o Incaper continua presente, sugerindo e construindo soluções junto com as famílias rurais e da pesca”, afirmou o diretor-presidente do Incaper, Antônio Carlos Machado.

Agricultor de Irupi, Douglas Andrade foi um dos produtores que receberam atendimento remoto e aprovou. “Nesse período de quarentena, eu mantive contato com o técnico do Incaper, EdiézioVimercate de Carvalho, por aplicativo de mensagens. Nós trocamos fotos e algumas informações, porque eu estou com uma lavoura nova. Ele me deu várias orientações a respeito de pulverização e adubação. Mesmo estando distantes, mantivemos o contato e todas as dicas foram de muito bom proveito”, afirmou.

O extensionista do Incaper, Cássio Vinícius de Souza, valorizou e pontuou a importância do atendimento remoto realizado pelo Incaper. “Mesmo remotamente conseguimos cumprir nossa missão: promover soluções tecnológicas e sociais por meio de ações integradas de pesquisa, assistência técnica e extensão rural, visando o desenvolvimento do Espírito Santo. Os serviços do Incaper são essenciais para a manutenção do abastecimento do Estado do Espírito Santo e na crise pudemos demonstrar o nosso valor, principalmente para quem depende diretamente dos nossos serviços”, pontuou.

O extensionista ainda reforçou a importância da relação com os produtores rurais. “A tecnologia é uma ferramenta que auxilia a promoção do desenvolvimento rural sustentável. Temos que utilizá-la em todas as suas formas de maneira legal e responsável. Apesar de termos conseguido continuar nossos trabalhos, a relação próxima entre extensionista e produtor ainda é, e acredito que sempre será, muito importante para estreitar os laços de fidelidade entre as partes. Contudo, esse momento está nos levando a reflexões que mudarão para sempre e para melhor a prestação dos nossos serviços e as relações para com as pessoas”, detalhou.

 

Texto: Hércules Nascimento e Jaqueline Sanz

Leia mais

Após receber prêmio, Maurício de Sousa anuncia parque temático da Turma da Mônica em Gramado

Após 60 anos da criação do primeiro personagem de Maurício de Sousa, um filme em “carne e osso” chegou aos cinemas. Com o filme...

Nota de falecimento – Dr. Jonas Bonato

Com pesar, a Prefeitura de Barra de São Francisco, representada na pessoa do prefeito Alencar Marim, informa e lamenta profundamente o falecimento do servidor...

Após acordo, rodoviários de Vitória encerram paralisação

Trabalhadores estão com três meses de salários atrasados e aceitaram proposta de pagamento parcelado da empresa. Assembleia aconteceu nesta segunda-feira (29)

Criança cai na escola, tem intestino perfurado e vai para a UTI

Foto; Reprodução/ Record TVUma estudante de 8 anos de idade ficou em grave estado de saúde,...

Leia também

Sem acesso a crédito, setores de comércio e serviços travam investimentos em SC

A pandemia de covid-19 tem causado forte impacto na vida de quem depende do próprio negócio para sobreviver em Santa Catarina. Em Criciúma, Marilea...

Reinfecção assusta médicos: brasileira recuperada foi novamente contaminada pelo Coronavírus

Um quadro de reinfecção por covid foi identificado em uma profissional de saúde de Ribeirão Preto. Os pesquisadores identificaram a recorrência da doença em...

Suspeito de esfaquear vizinho por causa de som alto é preso em Vitória

Crime ocorreu em junho, no bairro Inhanguetá. Segundo a polícia, ele confessou o crime, mas afirmou que agiu em legítima defesa. Um homem de 30...

Larápios arrombam estabelecimento comercial no centro de Água Doce do Norte

O comerciante Aécio Vieira Ribeiro, proprietário de um hortifrúti no centro de Água Doce do Norte, na manhã de quarta-feira (05/08/2020), quando chegou para...