Ataques de Israel matam mais 42 pessoas em Gaza, o pior número em uma semana de agressão


Sputnik Os aviões israelenses seguem bombardeando o território palestino densamente povoado na madrugada de domingo (16) para segunda-feira (17). De acordo com os relatos de correspondes da agência de notícias France-Presse em Gaza, os ataques chegaram a provocar queda de energia em alguns pontos do enclave litorâneo.

As Forças de Defesa de Israel (FDI), por sua vez, relataram que seus aviões de combate estavam atacando “alvos terroristas na Faixa de Gaza”, nas primeiras horas de segunda-feira (17).

​Em um esforço conjunto da Divisão de Tecnologia de Comunicação e Defesa Cibernética, da Divisão de Inteligência e da Força Aérea, um complexo da inteligência militar da organização terrorista Hamas foi atacado.

A troca de fogo entre as partes começou na última segunda-feira (10) e já deixou 197 mortos em Gaza e dez em Israel, segundo as autoridades de cada um dos lados. A violência tem origem em uma ordem de despejo da Justiça israelense contra moradores árabes de um bairro de Jerusalém Oriental, o que gerou protestos e confrontos entre os manifestantes palestinos e as forças de segurança de Israel.

Na manhã deste domingo (16), o governo de Israel afirmou que a “onda contínua de ataques” nas últimas 24 horas atingiu mais de 90 alvos no território palestino, entre eles o bombardeio que destruiu um edifício que abrigava diversos veículos de mídia internacionais.

O número de mortes em Gaza segue aumentando, enquanto as equipes de socorro e resgate retiram corpos das montanhas de escombros de edifícios atingidos pelos ataque israelenses. Contudo, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou que a campanha ainda “levaria tempo” para acabar.

“A nossa campanha contra as organizações terroristas segue com força total”, disse o premiê durante um pronunciamento na televisão. “Estamos agindo agora, e por quanto tempo for necessário, para restaurar a calma e o silêncio para vocês, cidadãos israelenses”.

Segundo as FDI, mais de 3.000 foguetes foram lançados da Faixa de Gaza contra Israel desde o último dia 10, o número mais alto já registrado em décadas de conflito. Porém, as FDI acrescentaram que cerca de 450 projéteis caíram dentro do território palestino, enquanto sistema de defesa antiaéreo Cúpula de Ferro interceptou mais de 1.000 foguetes.

Apesar da eficiência do sistema de defesa israelense, alguns projéteis caíram em regiões habitadas e provocaram ferimentos em 280 pessoas, alcançando lugares que estavam além dos limites atingidos pelos foguetes das milícias palestinas em ocasiões anteriores.

O Hamas e a Jihad Islâmica dispararam 3.100 foguetes de Gaza nos últimos sete dias. Esse é o maior número diário de lançamento de foguetes que Israel enfrentou na história do país. A ameaça é real. Milhões de israelenses estão vivendo sob fogo. Continuaremos nos defendendo.

O Ministério da Saúde da Faixa de Gaza, por sua vez, relatou que dois médicos e pelo menos 58 crianças morreram no território palestino. Além disso, os ataques deixaram mais de 1.200 feridos e uma cidade repleta de escombros e ruínas.

​Uma visão ampla da destruição causada pelos aviões israelenses no distrito de Rimal em Gaza na noite passada (15). As equipes de resgate ainda buscam por vítimas enterradas sob os escombros.

(Foto: REUTERS)

Leia mais

Leia também