Assinada autorização de contrato para levar energia elétrica a famílias do Marajó

Assinada autorização de contrato para levar energia elétrica a famílias do Marajó

Com o Mais Luz para a Amazônia, deverão ser feitas mais de 10 mil ligações nos próximos dois anos Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Foi dada a largada para o início dos serviços que vão levar energia elétrica à população dos municípios da Ilha do Marajó (PA), por meio do Programa Mais Luz para a Amazônia. A ação faz parte do Abrace o Marajó, do Governo Federal, que foi lançado, em Breves (PA), nesta sexta-feira (9), e conta com mais de cem iniciativas para a região.

A autorização do primeiro contrato do programa foi assinada em cerimônia que contou com a presença do Presidente da República, Jair Bolsonaro e do Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. 

A distribuidora de energia do Estado, Equatorial Energia Pará, poderá dar início aos projetos de sistemas de geração fotovoltaica nas residências de famílias marajoaras, que, até então, utilizavam gerador movido a óleo diesel. Esses painéis fotovoltaicos vão gerar energia elétrica a partir de fonte renovável para as famílias que vivem longe das redes de distribuição.

Segundo o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, é mais dignidade e cidadania às famílias da região. “Em dois anos, todas essas pessoas terão luz, dignidade, cidadania”, disse o ministro. “Isso, é não deixar ninguém para trás, como o Presidente Bolsonaro nos orienta”.

Com o Mais Luz para a Amazônia, deverão ser feitas mais de 10 mil ligações nos próximos dois anos. O que permitirá o fomento das atividades voltadas à ampliação da renda familiar, o uso sustentável dos recursos naturais da região, a preservação ambiental, a fixação e a inclusão das comunidades tradicionais.

Programa Mais Luz para a Amazônia

O Programa Mais Luz para a Amazônia foi lançado pelo Governo Federal em fevereiro deste ano para promover o acesso à energia elétrica da população brasileira localizada nas regiões remotas dos estados da Amazônia Legal. O programa visa ajudar no desenvolvimento social e econômico destas comunidades, que vivem, essencialmente, da pesca, da produção de farinha e da extração de castanhas e frutas.

O Mais Luz para Amazônia vai atender mais de 350 mil pessoas. São cerca de 80 mil ligações que serão realizadas na região Norte do país, com investimentos de mais de 3 bilhões de reais. Só na Ilha de Marajó, serão 42 mil pessoas beneficiadas, com recursos de R$ 3 milhões.

A partir da instalação da energia elétrica, as comunidades também poderão receber outras políticas públicas, como escolas e postos de saúde.

O Programa propõe atender a população residente em regiões remotas dos estados que compõem a Amazônia Legal: Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Tocantins e Maranhão, e que ainda não têm acesso a esse serviço público.

“Estamos levando energia para aqueles que nunca tiveram essa oportunidade; e isso será muito importante para o desenvolvimento sustentável deles”, finalizou o ministro Bento Albuquerque.

Leia mais

“Operação Retalho” fecha bates em Pancas e Alto Rio Novo

A polícia militar de Pancas, em conjunto com a polícia militar de Alto Rio Novo, realizou neste fim de semana a Operação Retalho, onde...

Trabalho de assistentes sociais ganham novas diretrizes por conta da pandemia

Portaria do governo federal, publicada no Diário Oficial da União da última quinta-feira (16), estabelece diretrizes para o funcionamento da rede socioassistencial de Proteção...

Após escândalo envolvendo Padre Robson, TV cria campanha ‘Eu confio no Pai eterno’

A TV Pai Eterno tem veiculado nos intervalos...

Vila Pavão confirma mais três casos de coronavírus

Vila Pavão confirmou mais três casos de coronavírus...

Leia também

MP em discussão no Congresso Nacional pode aumentar volume de crédito oferecido a empresários paranaenses

A obtenção de crédito por empreendedores brasileiros tem se tornado um entrave durante a crise financeira ocasionada pela pandemia. No Paraná, segundo pesquisa do...

Leilão do saneamento básico em Alagoas deve aumentar percentual da população que recebe atendimento de coleta de esgoto

O serviço de saneamento básico deve ter um novo cenário na região metropolitana de Maceió nos próximos anos. Atualmente, segundo dados do Sistema Nacional...

Mais de 313 mil empregos foram criados em setembro

egundo o Ministério da Economia, é o melhor resultado para setembro desde que foi criado o Caged, em 1992. Foto: Wilson Dias / Agência...

Programa Vigiar SUS é lançado pelo Ministério da Saúde

Foto: Sumaia Villela / Agência Brasil Vigilância, alerta e resposta a ações para melhorar a saúde e o bem-estar da população brasileira. Para isso,...