Arquivo Público recebe acervo privado de Ayres Loureiro de Albuquerque Tovar

Compartilhe

Uma coleção documental referente à trajetória de Ayres Loureiro de Albuquerque Tovar foi doada pela família e passou a compor, em caráter permanente, o acervo do Arquivo Público do Estado do Espírito Santo (APEES). Entre os materiais, estão livros manuscritos, receitas culinárias e de medicamentos, registros de despesas, listas de eleitores, cartas de nomeação, concessões de licenças, certificados de profissão e correspondências. Trata-se do primeiro acervo privado do século XIX já recebido pela instituição.

Ayres Loureiro de Albuquerque Tovar nasceu no dia 17 de julho de 1836, na cidade de Vitória. Era filho do alferes Ayres Vieira de Albuquerque Tovar, proprietário da primeira tipografia capixaba e neto de Manuel Vieira de Albuquerque Tovar, governador da Capitania do Espírito Santo entre 1804 e 1811. Foi professor de primeiras letras na Freguesia de Carapina e na Vila de Linhares, deputado provincial entre os anos de 1862 e 1877, capitão da 5ª Companhia do Batalhão de Reserva da Guarda Nacional, subdelegado de Polícia do Distrito de Carapina, juiz municipal do Termo de Cachoeiro de Itapemirim e tabelião do Público Judicial e Notas. Faleceu no dia 16 de dezembro de 1891 e foi sepultado no Cemitério de Nossa Senhora da Boa Morte.

Acervo familiar

O trineto de Ayres Loureiro de Albuquerque Tovar, o historiador Cesar Tovar, contou que quando entrou na graduação, na Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 1982, recebeu de presente de uma tia-avó uma pasta com documentos que havia pertencido a Ayres Loureiro de Albuquerque Tovar. O destaque era um álbum de notas, uma espécie de diário, no qual Ayres Loureiro de Albuquerque Tovar registrava dados relativos à família, como se fossem pequenas biografias.

Segundo Cesar Tovar, além das informações familiares, os documentos permitem trazer à cena diversos dados sobre o cotidiano e as relações sociais e políticas do período, abrangendo os anos de 1872 a 1940, como receitas de doces e licores, além de informações sobre professores, vigários e eleitores da Província do Espírito Santo.

Cesar Tovar ressaltou ainda que enquanto historiador considera que o lugar de documentos com esse valor é em um Arquivo Público, onde mais pesquisadores poderão ter acesso, sobretudo aqueles que se dedicam à história regional. “Assim, foi com grande satisfação, que entreguei o acervo ‘Ayres Tovar’ ao APEES, instituição que, desde o meu primeiro contato, reconheceu a relevância histórica de tais documentos e prontamente os recebeu para a guarda permanente”, disse.

Leia também

EcoRodovias vence leilão e vai investir R$ 11,3 bilhões na Rio-Valadares pelos próximos 30 anos

A EcoRodovias Concessões e Serviços S.A. será responsável por investir R$ 11,3 bilhões, pelos próximos 30 anos, nos...

Em 2022, Governo Federal já autorizou captação de mais de R$ 1,22 bilhão para projetos de saneamento por meio de debêntures

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), já autorizou a captação de mais de...

Governo repassa quase R$ 200 milhões para o Espírito Santo

  O Governo Federal vai realizar, nos dias 20 e 24 de maio, o repasse de R$ 199,43 milhões...

Receita Federal adia prazo para MEI entregar declaração anual

A Receita Federal adiou para o dia 30 de junho a entrega da Declaração Anual do Simples Nacional...

Massa de ar frio começa a se dissipar, mas temperatura ainda é baixa

A massa de ar frio que atingiu o Brasil nesta semana ainda deixará as temperaturas em baixa, especialmente,...

Brasil registra o menor número de roubos a bancos nos últimos seis anos

As políticas de prevenção e redução de crimes, uma das prioridades do Governo Federal, alcançaram excelente patamar: os...