Armas compradas legalmente vão parar nas mãos de criminosos, aponta levantamento

Compartilhe

 

Pesquisadores do Instituto Sou da Paz mergulharam no universo de armas desviadas e apreendidas no estado de São Paulo. Eles analisaram quase 24 mil ocorrências policiais entre os anos de 2011 e 2020 e descobriram uma relação surpreendente entre os modelos mais roubados, furtados e extraviados e os tipos de armas encontrados nas mãos dos criminosos.

“O que a gente descobriu nessa análise é que essa arma que é desviada muitas vezes não demora 24 horas para começar a ter uso criminal”, afirma Bruno Langeani, do instituto.

Fantástico teve acesso a esse levantamento com exclusividade (veja tudo no vídeo acima). No topo das cinco armas mais apreendidas está o revólver calibre .38, com 42% dos registros. Depois vem a pistola .40, o revólver .32, a pistola .380 e o revólver .22.

Os tipos de arma e calibre coincidem com o perfil das cinco armas mais desviadas. Foram comparados também o calibre e a marca. Quase todos os tipos e marcas de armas mantêm a mesma relação, o que indica, segundo os pesquisadores, que o crime se abastece, na maioria das vezes, de armas compradas legalmente.

A pesquisa mostrou também que em todo o estado são desviadas, em média, nove armas por dia: 46,2% das armas foram levadas de residências, 22% das vias públicas, e 14,4% de empresas de vigilância.

O estudo ainda revela que os desvios têm aumentado entre caçadores, atiradores e colecionadores de armas, os chamados CACs. Um homem que não quer se identificar e tem registro de atirador é testemunha de uma investigação da Polícia Federal sobre um esquema que falsificava documentos do Exército para desvio de armas.

“Eu conheço muitos amigos que foram na loja e retiraram uma arma com documento falso. O dono da loja não sabe que o documento é falso? O dono da loja tem que saber, né?”, conta.

A flexibilização para a compra de armas no governo de Jair Bolsonaro aumentou de forma expressiva a quantidade de armas legais no país. A lei permite que os atiradores comprem até 60 armas, sendo 30 de uso restrito, como fuzis. No ano passado, foram desviadas mais de 840 armas dos CACs.

Procurado pelo Fantástico, o Exército disse, em nota, que executou 59 operações de fiscalização interagências em 2021, que o foco da auditoria tem sido os grandes acervos – com 30 armas ou mais – e as entidades de tiro, e que servidores cadastrados da PF têm pleno acesso aos dados do sistema de gerenciamento militar de armas. Já a Polícia Civil e o Ministério Público podem solicitar as informações sempre que necessário.

G1 – Fantástico

Armas compradas legalmente vão parar nas mãos de criminosos, aponta levantamento

Leia também

Fisiobus começa a atender em Monte Sinai na próxima segunda, 4 de julho

Depois de atender nos distritos de Paulista, Itaperuna e Vargem Alegre, o Fisiobus, ônibus adaptado para realização de...

‘É difícil, na minha idade, me ver como mãe’, diz adolescente grávida

  Taislane, grávida aos 14 anos, sentada na cama de casa em que vive com a mãe Uma menina cheia...

Vai à capital? navios da Marinha serão abertos para visitação pública

O Porto de Vitória terá visitação pública e gratuita a navios da Marinha no sábado (2) e no...

1º Arraiá do Projeto Avivar francisquense foi sensacional na Escola João Bastos

A noite desta terça-feira, 28, vai ficar marcada pela realização do Arraiá do Projeto Avivar, na quadra da...

Prefeitura de Jaguaré vai pavimentar distrito de Fátima

  Já está na conta do Fundo Municipal de Investimento da Prefeitura de Jaguaré, o recurso para início das...

Moradores lamentam situação do esporte em Ecoporanga: “vacas e cavalos pastando dentro do campo”

  A imagem que um morador do distrito de Joassuba registrou dentro do campo de futebol “Jaime Matos” é...