Argentina se retira do Grupo de Lima, criado para pressionar Venezuela


Revista Fórum – O governo da Argentina, comandado pelo presidente Alberto Fernández, anunciou nesta quarta-feira (24) que o país não irá mais compor o chamado Grupo de Lima. O bloco foi criado em 2017 com o objetivo principal de pressionar o presidente Nicolás Maduro a abandonar o governo na Venezuela.

“A República Argentina formalizou sua saída do denominado Grupo Lima, considerando que as ações que o Grupo vem promovendo em âmbito internacional, visando isolar o Governo da Venezuela e seus representantes, não deram em nada. Por outro lado, a participação de um setor da oposição venezuelana como mais um membro do Grupo Lima tem levado à adoção de posições que nosso Governo não pôde e não pode apoiar”, diz trecho de nota publicada pela chancelaria argentina.

O grupo foi um dos primeiros a reconhecer a presidência fictícia do ex-deputado Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente do país no início de 2018. Após boicotar as eleições legislativas de 2020, Guaidó, que já havia perdido a presidência da Assembleia Nacional, não é mais deputado. Mesmo assim, ele insiste na presidência fake.

Leia mais na Fórum.

Alberto Fernández

Alberto Fernández (Foto: Reprodução)

Leia mais

Leia também