Argentina quer abastecer a América Latina com produção local da Sputnik V


Sputnik BrasilA Argentina está determinada em se tornar líder da vacinação contra a Covid-19 na América Latina.

A assessora do presidente argentino, Cecilia Nicolini, disse nesta segunda-feira (1º) que o país pretende lançar uma produção nacional da vacina russa Sputnik V e também de outras injeções – para a imunização não só de cidadãos argentinos, mas também de outros países da região.

“É muito importante para nós termos a possibilidade de produzir esta [Sputnik V] e também outras vacinas. […] Não só com o objetivo de produzir para a Argentina e poder fornecer essas vacinas aos cidadãos argentinos, mas também para poder abastecer a região, a América Latina”, disse com exclusividade à Sputnik a assessora do presidente Alberto Fernández.

Nicolini afirmou ainda que o governo argentino não descarta a possibilidade de adquirir mais doses da Sputnik V produzidas na Rússia ao longo dos próximos meses.

“Em relação à aquisição de mais doses, obviamente essa possibilidade está aberta”, disse ela, quando questionada se a Argentina pretende comprar mais doses do que as estipuladas no contrato inicial.

Também nesta segunda-feira (1º), o presidente Alberto Fernández esteve no Congresso argentino para abrir as sessões do período parlamentar de 2021. Em seu discurso, Fernández falou sobre o esforço feito pelo país para tentar erradicar a pandemia de Covid-19 e fez referência ao escândalo de “fura-fila” de vacinação no país, que acabou com a renúncia do ministro da Saúde argentino, Ginés González García.

Sputnik na Argentina

Argentina e Rússia assinaram um primeiro contrato para aquisição de 20 milhões de doses da vacina Sputnik V. Em seguida, o ministro González García confirmou que o país sul-americano faria uso da opção de estender a compra para um total de 30 milhões de doses. Até o momento, a Argentina já recebeu mais de um milhão de doses da vacina.

(Foto: Agustin Marcarian/Reuters)

Leia mais

Leia também