Aquisição de alimentos para comunidades vulneráveis ganha reforço de R$ 228 milhões

Aquisição de alimentos para comunidades vulneráveis ganha reforço de R$ 228 milhões

A Conab faz leilões virtuais onde compra os alimentos, recebe e armazena, para depois levar até as comunidades que mais precisam. Foto: Conab

Para garantir alimentos a povos indígenas, quilombolas, pescadores artesanais e extrativistas, o Governo Federal liberou R$ 228 milhões. Com o valor, será possível fornecer cestas básicas para mais de 612 mil famílias, durante o período de três meses, de acordo com a Secretaria-Geral da Presidência da República.

O recurso vem para suprir a necessidade de alimentação adequada e em quantidade suficiente no momento em que muitas famílias ficaram sem renda devido a paralisação de atividades provocada pela Covid-19.

A liberação do valor está prevista na Medida Provisória 1.008 que abre o crédito extraordinário em favor do Ministério da Cidadania, publicada na edição desta terça-feira (27) do Diário Oficial da União.

Com a medida, o Governo Federal cumpre o previsto na Lei nº 14.021, de 2020, que determina a adoção de ações emergenciais para garantia da segurança alimentar aos pescadores artesanais, às comunidades tradicionais, aos indígenas e aos quilombolas.

Distribuição de cestas

Garantir a distribuição de cestas básicas para comunidades específicas como indígenas e quilombolas em situação de vulnerabilidade é uma das atribuições da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Com recursos vindo do Ministério da Cidadania e do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, o órgão faz leilões virtuais onde compra os alimentos, recebe e armazena, para depois levar até as comunidades que mais precisam.

O gerente de parcerias institucionais da Conab, Rafael Flores, explicou que a distribuição de cestas é uma ação continuada desde 2003, mas, neste ano, contou com reforço devido à Covid-19 e acordo firmado entre a Conab e a Secretaria Nacional de Políticas de Igualdade Racial, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

“Essa ação tem como destinatários comunidades quilombolas e indígenas. Foram atendidas já 25 unidades da federação, mais de 400 municípios contemplados, sendo distribuídas, até o momento, 336 mil cestas de alimentos e a previsão é que se chegue a um total de quase 382 mil cestas de alimentos a 150 mil famílias ou comunidades indígenas e cerca de 60 mil comunidades quilombolas”, explicou Rafael Flores.

No Paraná, por exemplo, Conab iniciou, no final de setembro, a distribuição de um total de 520 cestas de alimentos em aldeias localizadas nos municípios de Guairá e Terra Roxa. Foram 10,9 toneladas de produtos para atender cerca de 2 mil indígenas em situação de insegurança alimentar e nutricional.

“Agradeço quando chega a alimentação para todas essas crianças. Aqui não tem como, porque ainda não tem terra para poder plantar. Que continue dessa forma ajudando a nossa família na aldeia Tekohá Yvyraty Porá”, disse um dos beneficiários.

Enquanto recebia o carregamento de cestas básicas, o cacique José Carlos, da aldeia Tekohá Tatury, que fica no Paraná, comemorou a chegada dos produtos. “Chegou a alimentação da Conab que vai ser muito importante para a alimentação da aldeia Tekohá Tatury e Tekohá Marangatu. É para duas aldeias”, disse.

A anciã da aldeia Tekoha Porã, localizada em Guaíra, no Paraná, Vitória Nunes, contou que o alimento é fundamental para os indígenas que vivem na região. “Antigamente plantávamos roça, plantava tudo para nossas crianças, tinha bicho no mato para sustentarmos nossa família. Agora, não tem mais nada e tem que trazer cesta para nós”, disse.

Leia mais

8º caso de Coronavírus confirmado em Barra de São Francisco

A prefeitura de Barra de São Francisco confirmou na tarde desta quinta-feira, 7 de maio de 2020, o 8º caso de Coronavírus na cidade. Segundo...

Porto de Santos tem aumento de 5,2% na movimentação no mês de setembro

A movimentação de cargas no Porto de Santos em setembro totalizou 12,2 milhões de toneladas, 5,2% acima do mesmo período de 2019. Esse foi...

Ministério do Turismo vai investir R$ 2,7 milhões no Mercado Municipal de Parintins

O Mercado Municipal de Parintins foi inaugurado em 1937 e oferece aos moradores e turistas produtos regionais ...

Leia também

Marco legal do mercado de câmbio pode ajudar na entrada do Brasil na OCDE

O projeto que visa permitir, entre outras coisas, a abertura de contas em dólar no país, pode auxiliar o Brasil a ingressar na OCDE,...

SESI GOLAB: indústria adota nova metodologia para ampliar saúde e segurança no trabalho

Com o intuito de diminuir os índices de ausência dos funcionários no trabalho, por falta ou atraso, a equipe de Saúde e Segurança do...

Conheça os novos prefeitos das capitais dos estados do Norte

Na região norte do país, o segundo turno das eleições ocorreu de forma tranquila. Pará Edmilson Rodrigues (PSOL) foi eleito prefeito de Belém após o segundo...

José Sarto é eleito prefeito de Fortaleza

José Sarto Nogueira (PDT) será o novo prefeito de Fortaleza pelos próximos quatro anos. Neste domingo (29), ele venceu a disputa para o cargo...