Após vitória da direita em Madri, chefe do Podemos anuncia que deixa a política


247, com Sputnik – O líder da coalizão de esquerda Unido Podemos, Pablo Iglesias, que até poucos dias era vice-presidente do Governo da Espanha, anunciou sua retirada da política após os fracos resultados alcançados nesta terça-feira, 4, diante da vitória da direita organizada no PP.

Iglesias disse que foi um “bode expiatório” e que não quer ser “um tampão para a renovação da liderança”.

“Estou deixando todos os meus cargos. Estou deixando a política entendida como política partidária, entendida como política institucional. Vou continuar comprometido com o meu país, mas não serei um tampão para a renovação da liderança que deve ocorrer em nossa força política “, anunciou Iglesias.

“Yolanda Díaz determinará o futuro da esquerda na Espanha nos próximos anos”, comentou Iglesias durante sua apresentação, assegurando que acredita que “as novas lideranças têm que cumprir uma promessa eleitoral: feminilizar o espaço político”. 

Díaz é do Partido Comunista Espanhol (PCE), ministro do Trabalho e da Economia Social desde janeiro de 2020 e também terceira vice-presidenta do Governo da Espanha, de Pablo Sánchez (PSOE), desde março de 2021.

“Há menos de sete anos sabíamos os resultados das eleições europeias e nesta altura poucos podiam imaginar o que alcançamos. Tenho orgulho de ter liderado um projeto que acabou com o bipartidarismo. Depois de sete anos, Unidos Podemos governar em muitas comunidades autónomas”. “Estou orgulhoso, mas quando você deixa de ser útil, tem que saber se retirar”, observou Iglesias.

Em Madri, ganhou Isabel Diaz Ayuso, do PP,  quenão formou maioria e terá de se juntar ao partido de extrema-direita VOX para governar.

Leia mais

Leia também