Após queda de Ernesto Araújo, Brasil retoma diálogo com a China


Após a demissão do ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, o Brasil finalmente parece estar voltando ao caminho de diálogo com a China.

Após meses de ataques de Araújo, respaldados por Jair Bolsonaro, o novo chanceler brasileiro, Carlos Alberto Franco França, relata Jamil Chade, do UOL, se reuniu na noite de sexta-feira (9) com o chefe da diplomacia chinesa. Na conversa, ambos trataram do fornecimento de insumos da China ao Brasil para a produção de vacinas contra a Covid-19.

Pelas redes sociais, o embaixador da China no Brasil, Yang Wanmin, relatou que a conversa entre França e o chanceler Wang Yi resultou em uma aproximação entre os dois países. Os ministros, segundo Wanmin, “concordaram em reforçar as relações bilaterais, a coordenação multilateral e o combate conjunto à pandemia, além de promover a recuperação econômica”.

O Itamaraty afirmou que os ministros “concordaram na urgência do combate à pandemia e da cooperação em vacinas, IFAs e medicamentos. Autoridades dos dois países estão em contato permanente para agilizar as remessas, essenciais para salvar vidas”.

Leia mais

Leia também