Após perder a esposa, veneciano vence a Covid-19 aos 87 anos

Seu José Joaquim da Silva, 87 anos, venceu a temida doença da atualidade e depois de oito dias internado no Hospital São Marcos para tratar a Covid-19, causada pelo novo coronavírus, teve alta no último sábado (04), com direito a comemoração da equipe da unidade hospitalar: “Senhor José Joaquim, esse final de semana foi de muita alegria pra nós do Hospital São Marcos. Sábado foi o dia em que o senhor recebeu alta, depois de oito dias lutando contra essa doença. Aos 87 anos, o senhor chegou para nós com 50% de comprometimento pulmonar e vê-lo saindo de nosso hospital bem, com a saúde restabelecida, é uma conquista pra todos nós. Vá em paz e que o senhor possa ter muitas alegrias ainda em sua vida”, diz a postagem do Hospital em uma rede social.

Infelizmente, a esposa do aposentado, a dona Maria Dalva Chuina da Silva, 81 anos, não teve a mesma sorte que o marido, e faleceu no último dia 29, vítima da Covid-19.

De acordo com um dos filhos do casal, Marcos Roberto da Silva, o pai estava fazendo tratamento para doença em casa, mas precisou ser internado por agravamentos. “Ele não tem comorbidade, mas estava com problema de coagulação, o coração já está meio fraco devido a idade, então, a internação foi melhor para ele”, fala o filho.

Seu José Joaquim foi internado depois da esposa, no último dia 26, três dias antes da morte da mulher, e foi ainda no hospital que recebeu a triste notícia do falecimento da esposa.

Seu José Joaquim da Silva, 87 anos, venceu a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, e teve alta no último sábado (04), com direito a comemoração da equipe da unidade hospitalar

Casados há 63 anos

Seu Joaquim e a dona Maria Dalva Chuina da Silva eram casados há 63 anos, tiveram 12 filhos, 34 netos e 16 bisnetos. Moradores do bairro São Francisco, o casal ficou internado em tempos compatíveis, sendo que ele no Hospital São Marcos, e ela, nos hospitais Dr. Roberto Arnizaut Silvares e Meridional, em São Mateus.

De acordo com Marcos, o pai foi infectado pela doença primeiro, e em seguida, a mãe. Os sintomas começaram próximo ao dia 10 de junho, sendo que, um neto que também mora com o casal, foi contaminado, e está recuperado da doença. “Ficamos mais preocupados com minha mãe, que tinha problema de hipertensão, diabetes. Meu pai sempre foi sadio, nunca havia ficado internado e não tem doença alguma”, fala Marcos.

O filho relata que a família vive duas emoções diferentes, a tristeza de ter perdido a matriarca dos Silva, e a alegria de ter de volta ao lar, o pai dos 12 filhos e um grande avô. “Estamos vivendo um dia de cada vez. O que tem nos ajudado é que somos cristãos, sabemos que vamos encontrar a nossa mãe depois, mas a tristeza é grande por agora. Estamos nos segurando também na fé e na vida do nosso pai, agora precisamos cuidar dele. Ele está bem, por enquanto está conformado com a perda dela”, fala.

Marcos conta ainda que a notícia da morte da mãe foi dada ao pai pelo neto que mora com o casal. “Não tive coragem de ir lá contar. Primeiro achamos que não deveríamos falar, pois ele ainda estava internado. Mas antes do sepultamento, resolvemos que teríamos que dar a notícia para ele. Não foi fácil. Fizemos o velório da minha mãe, sem velório realmente, apenas uns momentos para nos despedirmos”, explica.

O filho do seu José Joaquim, durante a entrevista, fez questão de deixar um recado sobre a doença. “A Covid-19 existe, ela está aí, trazendo muita tristeza, e ela não vai te poupar. Se você acredita ou não, não interessa, ela existe e está matando, está entristecendo muitos lares, levando para sempre muita gente amada que vai fazer falta eternamente. Tivemos nosso pai de volta em casa, mas perdemos nossa mãe. Você pode vencer ou não essa doença, ninguém sabe o certo. Para não correr este risco, se previna, tome as precauções, pois essa doença evolui muito rápido e leva quem você ama num piscar de olhos. Até que surja a vacina, vamos nos prevenir, para que você não sinta a dor que estamos sentindo”, finaliza.s sentindo”, finaliza.

Reportagem especial: Cintia Zache – redenoticiaes

Seu Joaquim e a dona Maria Dalva Chuina da Silva eram casados há 63 anos

Leia mais

Leia também