Após hospitais denunciarem falta de ‘kit intubação’, Espírito Santo determina transferência de pacientes

 

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Espírito Santo determinou a transferência de todos os pacientes com Covid-19 que estão internados nas UTIs do Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim e no Hospital Evangélico Litoral Sul, em Itapemirim, ambos no Sul do estado, após o coordenador das unidades afirmar que os medicamentos que compõem o “kit intubação” estão em falta.

O “kit intubação” trata-se de um conjunto de medicações essenciais para realização da intubação e também para a manutenção dos pacientes em sedação, o chamado coma induzido.

Os hospitais em questão são filantrópicos (dirigidos por entidades sem fins lucrativos e financiados pelo governo estadual) e possuem uma mesma coordenação.

Em um vídeo, o coordenador dos hospitais, Marcus Thompson, falou sobre a falta desses medicamentos em função da dificuldade de compra.

“Nós médicos que trabalhamos na linha de frente e os hospitais, nós somos vítimas disso juntamente com os pacientes que estão sofrendo. Nós não somos os culpados, não somos os responsáveis por isso”, disse ele.

Em outro trecho, Thompson ressaltou que o problema é vivido em hospitais filantrópicos de todo o país e ressalta que no Sul do Espírito Santo a situação é crítica.

“Aqui no Sul do Espírito Santo o problema é crítico com os hospitais filantrópicos. 90% do atendimento do SUS para Covid-19 no Sul é em hospitais filantrópicos. São pelo menos 117 leitos de UTI Covid oferecidos pela rede filantrópica e esses hospitais têm tido dificuldades para comprar medicamentos. De quem é a culpa não me interessa. Não estou aqui acusando político algum. Mas a saúde é um dever do estado, do estado brasileiro na sua esfera federal, estadual e até municipal em alguns casos”, contou.

Juntos, os dois hospitais possuem 53 leitos de UTI. Dos 23 leitos existentes no Hospital Evangélico de Cachoeiro, 19 estão ocupados. Já dos 30 leitos existentes no Evangélico Litoral Sul, 24 estão ocupados.

Em nota, a Sesa informou que a determinação de transferência dos pacientes permanecerá até que os hospitais cumpram com suas obrigações previstas em contrato.

A secretaria informou ainda que o Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim será notificado quanto ao cumprimento das suas obrigações contratuais na qualidade prestador privado de serviços de UTI e enfermaria para Covid-19. Caso ele não tenha condições de cumprir com todas elas, o contrato será rescindido.

A Sesa também pontuou que não há colapso na rede hospitalar do Espírito Santo e que a situação se refere especificamente a um único prestador privado.

“Atualmente o Espírito Santo possui 531 leitos de UTI e enfermaria livres para pacientes Covid-19, sendo 137 leitos de UTI. Ao longo das próximas semanas, serão abertos 150 leitos nos hospitais estatais, que não sofrem com desabastecimento de medicamentos”, diz parte da nota.

A direção do Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim, que também administra o Hospital Litoral Sul, reiterou a “extrema dificuldade” na compra dos medicamentos.

“Prezando pelo atendimento de qualidade, praticado desde o início de nossas atividades hospitalares, além de elevada responsabilidade para com o doente, decidimos solicitar transferência de alguns dos pacientes internados no nosso CTI, a fim de compatibilizarmos nossos estoques de medicamentos ao número seguro de pacientes a serem assistidos por nossa equipe”, justificou.

Segundo o hospital, em um esforço junto à Sesa, foi possível conseguir uma quantidade suficiente de medicações para manter o Centro de Terapia Intensiva (CTI) em atividade. Tais medicações devem ser entregues até esta segunda-feira (26) e, assim que chegarem, as solicitações de transferência serão retiradas.

“Salientamos que nenhum paciente sofreu qualquer prejuízo até o momento. Nossas equipes estão trabalhando incansavelmente para manter o mais alto nível de cuidado a cada um dos nossos pacientes”, disse a coordenação.

'Kit intubação' trata-se de um conjunto de medicações essenciais para realização da intubação e também para a manutenção dos pacientes em sedação — Foto: Carlos Palito/TV Gazeta
‘Kit intubação’ trata-se de um conjunto de medicações essenciais para realização da intubação e também para a manutenção dos pacientes em sedação — Foto: Carlos Palito/TV Gazeta

 

 

Leia mais

Leia também