Aplicativo ÔnibusGV já recebeu mais de sete mil denúncias

Nos primeiros 15 dias de funcionamento das ferramentas de denúncia de não uso de máscara e de lotação nos coletivos, o aplicativo ÔnibusGV recebeu mais de sete mil denúncias. Cerca de 60% são referentes a passageiros sem máscara nos ônibus e nos terminais. Em relação à lotação, o aplicativo registrou cerca de 2.300 denúncias.

O Terminal Laranjeiras, na Serra, foi o que mais recebeu denúncias do não uso de máscara (17%), seguido dos terminais Campo Grande, em Cariacica (16%); Vila Velha (15%) e Carapina (14%). Já as linhas que mais registraram denúncias foram: 591 – Terminal Campo Grande x Serra (3,4%); 525 – Terminal Itacibá x Terminal Vila Velha (3,1%); 535 – Terminal Carapina x Terminal Campo Grande, via Jardim América (3,1%); e 507 – Terminal do Ibes x Terminal Laranjeiras (3,6%).

Já em relação à lotação, as linhas que receberam mais denúncias de passageiros em pé foram 591 Terminal Campo Grande x Serra (5,7%); 525 – Terminal Itacibá x Terminal Vila Velha (4,6%); 507 – Terminal do Ibes x Terminal Laranjeiras (3,6%) e 518 – Terminal Carapina x Terminal Ibes, via Serafim Derenzi (3,5%).

O diretor-presidente da Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb-ES), Raphael Trés, explicou que com base nesses dados, a equipe técnica a Companhia já está analisando a operação dessas linhas para verificar se o problema é recorrente ou pontual para realizar as devidas adequações. “No caso da linha 518, por exemplo, identificamos a necessidade de aumentar a capacidade, em horários de pico, e colocamos já há alguns dias carros articulados para suprir a demanda de passageiros sentados. Vamos fazer a mesma análise com as outras linhas e melhorar a oferta, caso necessário”.

Trés reforça a necessidade de a população fazer a sua parte, neste momento de pandemia: “Se puderem, fiquem em casa. Mas, caso precisem usar o transporte público, usem máscara e se o ônibus estiver com os lugares ocupados, aguardem o próximo veículo da linha, o que pode ser consultado pelo aplicativo ÕnibusGV”, ressaltou.

O Sistema Transcol vem adotando uma série de medidas para diminuir o risco de contágio no transporte coletivo desde o início das restrições de circulação em decorrência da pandemia. Entre elas estão a distribuição de um milhão de máscaras para passageiros; embarque exclusivo com CartãoGV; recomendação para que passageiros embarquem somente em veículos com assentos disponíveis, marcação das filas nos terminais e recomendação aos passageiros para manutenção do distanciamento mínimo de 1,5 metro.

Também está sendo feito reforço na higienização dos coletivos com hipoclorito de sódio diluído, conforme orientações da Secretaria da Saúde (Sesa), desinfecção diária dos terminais e disponibilização de sabonete nos banheiros, afastamento de colaboradores do sistema com mais de 60 anos, com comorbidades ou com sintomas gripais, retirada dos veículos com ar-condicionado de circulação, superdimensionamento da operação para garantir o transporte, minimizando o risco de contaminação, além da distribuição de álcool gel e máscaras para os trabalhadores do sistema.

Leia mais

Leia também