Anvisa diz que autorização para uso emergencial de vacinas contra a Covid-19 poderá sair em até 10 dias depois do pedido

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou nesta segunda-feira (14) que é capaz de analisar, em até 10 dias, os pedidos de autorização para uso emergencial de vacinas contra a Covid-19. O aval da agência depende, no entanto, de que as empresas que produzem o imunizante apresentem os dados à Anvisa e possuam ensaios clínicos no Brasil.
 
O prazo não tem relação com as 72 horas previstas na Lei Covid, que determina esse tempo para que a Anvisa dê algum posicionamento nos casos em que a vacina já tenha registro em uma das quatro agências internacionais de referência.

Vacina é “prioridade zero” no Congresso Nacional, afirma vice-líder do governo na Câmara

Plano de Imunização contra Covid-19 acontecerá em quatro fases

Covid-19: Plano Nacional de Imunização é entregue ao Supremo Tribunal Federal

Em nota, a Anvisa também destacou que “nenhuma autoridade reguladora, até o momento, concedeu autorização de uso emergencial de forma automática, baseada na avaliação de um outro país”.
 
O órgão afirmou que ainda não recebeu pedido para uso emergencial de vacina contra a Covid-19, e que continuará funcionando no Natal e Ano Novo, para garantir a segurança, eficácia e qualidade dos imunizantes, desde que alguma empresa faça a solicitação. 

Agência Brasil

Leia mais

Leia também