Alunos da Rede Estadual terão aulas de nivelamento para melhorar a aprendizagem

Compartilhe

 

Visando a aumentar o índice da aprendizagem dos 228.678 mil alunos da Rede Estadual, a Secretaria da Educação (Sedu) anunciou, nesta terça-feira (05), a implementação de aulas de nivelamento nas disciplinas de Matemática, Língua Portuguesa e nas áreas de Ciências da Natureza e Humanas. Pedagogos, Professores Coordenadores de Área (PCA) e os professores do Programa de Fortalecimento da Aprendizagem (PFA), responsáveis pelas aulas de reforço e recuperação de Matemática e Língua Portuguesa, passarão por uma formação.
As escolas já iniciaram as aulas de nivelamento e a previsão de que ocorra a contratação de professores do PFA nas próximas semanas.

De acordo com o secretário de Estado da Educação, Vitor de Angelo, a Sedu disponibilizou às escolas material pedagógico orientador, que já estão auxiliando as unidades a executaram a ação. “Os profissionais terão, em sala de aula, foco nas habilidades em que os estudantes tiveram menor percentual de acertos na 1ª etapa das avaliações diagnósticas 2022 e no Paebes. Também será feito um plano de estudo para que, durante as aulas de Estudo Orientado, o aluno desenvolva as habilidades com menor rendimento. A proposta, com isso, é diminuir as desigualdades de aprendizagem”, destacou.

Avaliações Diagnósticas 2022 – 1ª etapa

As atividades de nivelamento foram planejadas a partir dos resultados das Avaliações Diagnósticas 2022 – 1ª edição, aplicadas entre os dias 14 de fevereiro e 6 de março de 2022, nos formatos on-line e impresso. Os resultados obtidos apontam baixo percentual de acertos dos estudantes da Rede Pública Estadual, especialmente em Matemática e Ciências da Natureza.

Mostram ainda a Matemática como a disciplina que apresentou o menor percentual de acertos entre estudantes dos Ensinos Fundamental e Médio. Cerca de 186 mil estudantes do 3º ano do Ensino Fundamental a da 3ª série do Ensino Médio participaram da avaliação, o que corresponde a 83% do total.

Segundo Vitor de Angelo, cada indicador é avaliado atentamente e permite intervenções pedagógicas individuais, e não só por Superintendências Regionais de Educação (SRE) e escola, visto que os estudantes são avaliados individualmente.

“O nosso maior desafio é conseguir desenvolver, nos estudantes, as habilidades correspondentes ao ano em que eles estão matriculados. Um resultado como esse importa pouco se for apenas traduzido em números. As informações devem servir para termos consciência da realidade da nossa Rede, da nossa Regional e da nossa escola. E, a partir disso, orientar o trabalho dos gestores e equipes pedagógicas da Unidade Central, Superintendências e das unidades escolares, bem como subsidiar as tomadas de decisão do poder público na busca pela garantia da aprendizagem e pela equidade na educação capixaba”, afirmou Vitor de Angelo.

O objetivo da ação foi avaliar a aprendizagem dos estudantes nos componentes curriculares das áreas de Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Linguagens e Matemática, além das Competências Socioemocionais. Algumas conclusões significativas foram apontadas pela Sedu, tais como:

  • As séries iniciais do Ensino Fundamental alcançaram os melhores percentuais gerais de acerto;
  • Língua Portuguesa e Geografia foram os componentes com o maior percentual geral de acertos;
  • As séries do Ensino Médio, de maneira geral, obtiveram os menores percentuais de acerto;
  • No Ensino Médio, os componentes curriculares de Ciências da Natureza apresentaram percentuais de acerto inferiores a 40%, tornando-se um ponto de atenção;
  • A média de acerto geral da rede foi de 47%.

A Sedu, por meio da Gerência de Avaliação, preparou e encaminhou às SREs, um documento listando os descritores prioritários, isto é, os que apresentaram maior percentual de erro nessa avaliação, de cada componente curricular nos anos (ou séries) avaliados. Os resultados já foram disponibilizados às Superintendências e escolas.

Outras Intervenções pedagógicas

Visando à melhoria da aprendizagem dos alunos da Rede Estadual e a redução do impacto da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), a Sedu implementou algumas ações:

  • Programa de Fortalecimento da Aprendizagem:
  • Aulas de reforço e recuperação nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática em todas as escolas;
  • Educação Científica: investimento de R$ 30 milhões na estruturação de laboratórios, para aulas práticas de Ciências, Física, Química e Biologia.
  • Readequação Curricular:
  • Foco das atividades pedagógicas nas habilidades estruturantes.
  • Tecnologia Digital:
  • Entrega de 60 mil chromebooks aos estudantes do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA);
  • Destinação de recursos aos professores para a aquisição de computadores e pacote de dados. O benefício foi de R$ 5 mil e apoio de custeio de plano de internet;
  • Árvore de Livros: biblioteca digital com cerca de 30 mil livros digitais, sendo uma plataforma de empréstimo e de leitura que pode ser acessada 24 horas por dia. Disponibilizada aos alunos e professores.

Leia também

Nova Venécia promove 1ª Jornada do Meio Ambiente

  A Prefeitura de Nova Venécia, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, promoverá, entre os dias 30...

Três pessoas são presas em Boa Esperança

Foi realizada, na manhã desta quinta-feira (19), uma operação policial que culminou com a prisão de três pessoas...

Câmara pode votar projeto que torna combustíveis e energia serviços essenciais

A Câmara dos Deputados deve votar nesta terça-feira (24) o projeto de lei que considera combustíveis, energia elétrica,...

Reconstrução da passarela do bairro Vila Landinha em Barra de São Francisco será entregue nos próximos dias

Falta poucos detalhes para que a reconstrução da passarela sobre a ponte do bairro Vila Landinha, e por...

Acusado de dupla tentativa de homicídio no Espírito Santo é preso no Sul de Minas

Um homem de 26 anos, acusado de dupla tentativa de homicídio no Estado do Espírito Santo, foi preso...