Presidente da Argentina pede que ministro da Saúde renuncie após casos de fura-filas na vacinação


Sputnik – O presidente argentino, Alberto Fernández, solicitou a renúncia do ministro da Saúde do país, Ginés González García, nesta sexta-feira (18).

A causa do pedido é o escândalo que ficou conhecido na Argentina como “vacinação VIP”: algumas pessoas haviam se beneficiavam de contatos com nomes do governo para ter às vacinas contra a Covid-19, embora não atendessem aos requisitos dos grupos de prioridade para a imunização.

“O presidente deu a instrução ao chefe de Gabinete [Santiago Cafiero] para que peça a ele a renúncia”, informou a Presidência da Argentina, segundo o veículo argentino Clarin.

O Clarín informa ainda que, segundo uma reportagem do jornalista Horacio Verbitsky, membros selecionados do governo tinham acesso à vacinação no esquema de González García. Integrariam a lista VIP do ministro o senador Jorge Taiana e o deputado federal Eduardo Valdés, entre outros.

Assim como no Brasil, a vacinação na Argentina segue em ritmo lento: até o momento, pouco mais de 635 mil pessoas foram vacinadas no país, o que corresponde a 1,4% do total de argentinos. Os números são do site Our World in Data.

No início de fevereiro, González García anunciou a detecção da variante brasileira em solo argentino. Na ocasião, o ministro destacou a necessidade de realizar uma “vigilância epidemiológica genômica” devido à descoberta da nova cepa na Argentina.

O governo argentino tem contrato com a Rússia para a aquisição de 30 milhões de doses da Sputnik V. Até o momento, a Argentina recebeu 820.000 doses da vacina russa.

Presidente da Argentina, Alberto Fernandez, recebe dose da vacina russa Sputnik V

Presidente da Argentina, Alberto Fernandez, recebe dose da vacina russa Sputnik V (Foto: Reprodução/Twitter)

Leia mais

Leia também