Águas do São Francisco ajudam produtores do Nordeste

produtor

Produtor rural Givanildo Matias Leite
– Foto:
Reprodução TV Brasil

São 40 anos lidando com a seca em Jati, cidade a 530 quilômetros de Fortaleza (CE). Lá, o produtor rural Givanildo Matias Leite planta feijão e milho. Ele contou que não é fácil produzir com a seca, mas agora, com a chegada da água do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco ao Ceará, Givanildo tem a expectativa de dias melhores.

“Na época de seca é difícil, a gente sofre muito e os animais também. Plantar, praticamente não tem como”, disse Givanildo.

“Com a transposição vai liberar pra gente plantar, trabalhar. Com certeza vai melhorar, vai aguar todas as casas. A água é a vida da gente. Aqui pra nós vai melhorar. Nunca vi tanta água, vou ver agora na barragem. Vou fazer plantio e melhorar a vida. Trabalhar na seca e no inverno. Com a água favorável ficou mais fácil pra gente viver aqui no Nordeste”, disse.

As águas do São Francisco chegaram ao Ceará após 13 anos do início do projeto de integração. Na manhã desta sexta-feira (27), o presidente Jair Bolsonaro abriu as comportas do Reservatório Milagres que integra o Eixo Norte do projeto e permite a chegada da água do rio ao Ceará. “Irrigar terras, levar água para a casa do cidadão nordestino que sempre teve carência disso. E é uma novela enorme que está chegando ao fim”, disse. 

Com a abertura, a água que já abastece o Reservatório Milagres, em Pernambuco, passa pelo Túnel Milagres e começa encher o Reservatório Jati, que fica no Ceará. A partir daí, seguirá também para a Paraíba e o Rio Grande do Norte.

A chegada das águas do Rio São Francisco ao sertão cearense marca a entrega da última grande estrutura do empreendimento que atenderá milhões de brasileiros na região Nordeste.

A previsão é que, em agosto, sejam iniciados os testes de entrega de água do Projeto de Integração do Rio São Francisco ao Cinturão das Águas do Ceará que abastecerá 4,5 milhões de pessoas na região metropolitana de Fortaleza.

Eixo Norte

Com 260 quilômetros de extensão, o Eixo Norte impulsionará o desenvolvimento econômico em regiões que sempre enfrentaram escassez hídrica.

Quando as obras complementares estiverem concluídas e funcionando, a expectativa é que o eixo garanta segurança hídrica a mais de 220 cidades paraibanas, pernambucanas, cearenses e potiguares. Cerca de 6,5 milhões de pessoas contarão com abastecimento de água regular.

O total de execução física do trecho é 97,49%. Os investimentos federais na obra somam R$ 6,5 bilhões.

Maior empreendimento hídrico

O Projeto de Integração do Rio São Francisco é o maior empreendimento hídrico do País. Os dois eixos, o Norte e o Leste, somam 477 quilômetros de extensão. Quando todas a estruturas e sistemas complementares nos estados estiverem em operação, cerca de 12 milhões de pessoas de 390 municípios serão beneficiadas.

Leia mais

Vítima de acidente em pedreira no interior é identificada

O homem que morreu em um acidente em...

Barra de São Francisco tem 174 casos notificados de moradores de outras cidades

De acordo com o novo relatório divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde de Barra de São Francisco, o município registrou 174 casos de Coronavírus...

CNPq e MCTI anunciam R$ 20 milhões adicionais para projetos em Covid-19

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) anunciaram o incremento de R$ 20...

Acidente entre caminhão baú e carreta na rodovia que liga Barra de São Francisco a Ecoporanga

Um grave acidente foi registrado nesta sexta-feira, 31 de julho de 2020, na rodovia que liga a sede de Barra de São Francisco à Vila Paulista....

Leia também