Água na Medida: projeto da Agerh desenvolve tecnologia para irrigação sustentável e gestão comunitária dos recursos hídricos

O Projeto Água na Medida, da Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh), já visitou 15 propriedades rurais da microbacia do Córrego do Frigério, em Nova Venécia, para coletar amostras de solo, visando à instalação de equipamentos para a pesquisa que busca aliar tecnologia à irrigação de lavouras, juntamente com a participação dos agricultores.

Os 15 proprietários rurais, convidados a auxiliar na realização do projeto, são produtores de café e pimenta e firmaram o compromisso de contribuir para a realização da pesquisa, que tem a duração prevista de dois anos.

No decorrer deste mês de julho, a equipe do projeto coletou amostras do solo e avaliou o sistema de irrigação nas propriedades, nas quais serão instalados os primeiros equipamentos, que são os irrigâmetros. 

O objetivo, segundo a coordenadora da pesquisa, Silvia Batista Soares, é definir as réguas dos irrigâmetros que serão instalados em cada propriedade e, assim, descobrir tecnicamente o tempo e a quantidade de água necessária para a irrigação das lavouras.

“Diariamente, durante um ano, esses produtores vão anotar os dados, como volume de água e tempo de rega, para a partir dessas informações e da análise do solo, definirmos as regras que vão ditar o manejo da irrigação para aquela cultura, naquele local. Ou seja, informações que vão dizer ao produtor quando irrigar e com que quantidade de água”, explicou a coordenadora. 

Devido à escassez hídrica, a microbacia de cerca de 60 quilômetros quadrados, localizada na bacia hidrográfica do rio São Mateus, tem um histórico de conflito pelo uso da água e uma alta demanda de recursos hídricos para irrigação, realidade que o trabalho iniciado este mês pela Agerh quer mudar.

Além de incentivar métodos modernos de irrigação, que promovam o uso sustentável da água, o projeto tem o objetivo de garantir a distribuição justa e consensual dos recursos hídricos entre as propriedades rurais, uma vez que os produtores poderão definir regras de uso da água em momentos de escassez com base em monitoramento de campo.

“As pesquisas que estamos realizando nessas 15 propriedades vão gerar respostas para todos os produtores da microbacia, já que os dados colhidos nesses locais alimentarão um sistema de apoio à decisão que se comunicará com todos os produtores do Córrego Frigério”, adiantou Silvia Batista Soares.

Os produtores da região do córrego Frigério estão regularizados sob o ponto de vista do uso da água, com as Portarias de Outorga. A Outorga de Direito de Uso dos Recursos Hídricos regulariza a captação e o uso da água bruta.

O projeto “Água na Medida” é voltado às microbacias hidrográficas de bases agrícola e familiar do Espírito Santo e a Microbacia do Frigério está sendo a primeira a receber as atividades do projeto, que faz parte do planejamento estratégico do Governo do Estado do Espírito Santo na área ambiental e agrícola.

Nos dois primeiros anos do projeto, as mesmas tecnologias também serão implementadas em outra microbacia, na região do rio Doce. 

O projeto de “Apoio à Implantação e Aperfeiçoamento de Instrumentos de Incentivo ao Uso Racional da Água na Agricultura e à Autogestão Comunitária de Recursos Hídricos por Microbacia” (Água na Medida) é uma parceria da Agerh com o Fundo Estadual de Recursos Hídricos e Florestais do Espírito Santo (Fundágua), a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) e a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), por meio do Centro de Ciências Agrárias e Engenharias (CCAE) – Campus de Alegre, e do Laboratório de Gestão de Recursos Hídricos e Desenvolvimento Regional (Labgest) – Campus de Goiabeiras.

Água na Medida: projeto está com vagas abertas para pesquisadores

O projeto “Apoio à Implantação e Aperfeiçoamento de Instrumentos de Incentivo ao Uso Racional da Água na Agricultura e à Autogestão Comunitária de Recursos Hídricos por Microbacia” está com cinco vagas abertas para profissionais e pesquisadores. As bolsas, de até R$ 2.500,00 são para agrônomos, engenheiros ambientais, engenheiros agrônomos e profissionais de Tecnologia da Informação. Os candidatos devem ter disponibilidade de viajar para o interior do Estado. Veja aqui as oportunidades.

As inscrições para concorrer às bolsas vão até o dia 08 de agosto de 2021, por meio de um formulário digital. Leia mais informações no edital ou clicando aqui.