Agressão israelense a palestinos em Gaza causou perdas econômicas de milhões de dólares


A Faixa de Gaza sofreu danos no valor de 570 milhões de dólares como resultado da agressão israelense em maio passado, que causou mais de 250 mortes e deixou graves consequências socioeconômicas, revelou um relatório divulgado nesta quarta-feira (7).

Um estudo do Banco Mundial especifica que 380 milhões de dólares corresponderam a danos à infraestrutura e 190 milhões a perdas econômicas, informa a Prensa Latina.

Ele destacou que o setor social foi o mais afetado pelos bombardeios terrestres e aéreos das forças armadas israelenses durante os 11 dias de ataques, seguido pela produção, finanças, agricultura, serviços, comércio e indústria.

A investigação foi realizada em coordenação com a ONU, a União Europeia e a Autoridade Nacional Palestina, bem como a sociedade e o setor privado daquele enclave, onde vivem pouco mais de dois milhões de pessoas.

Segundo o texto, citado pela agência oficial de notícias palestina WAFA, o processo de reconstrução daquela área nos primeiros dois anos custará pelo menos 485 milhões de dólares. 

Uma recuperação rápida no curto prazo dependerá do apoio financeiro da comunidade internacional, bem como da cooperação de Israel para acelerar o acesso a materiais e equipamentos destinados a fins civis, frisa.

Por mais de uma década, o governo de Tel Aviv manteve um bloqueio contra essa área palestina.

Nesse sentido, ele alerta que entre as ações mais urgentes está a entrega de dinheiro para cerca de 45 mil pessoas que precisam de assistência alimentar e priorizam a construção de casas após a destruição total ou parcial de cerca de quatro mil casas.

O documento destaca que no enclave costeiro o desemprego ultrapassa 50% da população economicamente ativa e que mais da metade de seus habitantes vive na pobreza.

(Foto: REUTERS)

Leia mais

Leia também