Agentes do Iases concluem curso de operações especializadas de segurança socioeducativa

Dezesseis agentes socioeducativos que atuam na Coordenação de Apoio Especializado (Caesp) do Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases) concluíram, na última sexta-feira (27), o curso de Operações Especializadas de Segurança Socioeducativa. A capacitação contou com carga horária de 80 horas e foi realizada dentro das instalações do Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol), na Serra.

Estiveram presentes na solenidade de encerramento o diretor-presidente do Instituto, Fábio Modesto; o juiz titular da 3ª Vara da Infância e Juventude de Vitória, Vladson Couto Bittencourt; e o diretor de Ações Estratégicas do Instituto, Oséias Gerke.

A capacitação teve como objetivo desenvolver, periodicamente, ações de formação teórica e prática, introdutória e continuada para aprimoramento e desenvolvimento socioeducativo dos servidores do Instituto. “O nosso objetivo é proporcionar o melhor e o máximo e, por isso, nos empenhamos para oferecer capacitação contínua. Acreditamos que este é o caminho correto. Não esperamos nada menos do que excelência. Se cobramos é porque sabemos que esse grupo pode nos dar essa resposta. Só fica aqui quem é bom, merece e quem dá resultado. Nesses dois anos nós não erramos e, é por isso, que reforçamos nossa capacitação e assim continuaremos”, destacou o diretor-presidente do Iases.

O juiz titular da 3ª Vara da Infância e Juventude de Vitória falou ao grupo sobre a responsabilidade que eles têm perante o papel da socioeducação.  “A socioeducação é a nossa principal finalidade e a segurança está a serviço da socioeducação. Esse grupo existe para dar garantia de funcionamento a ela”, destacou.

Vladson Couto Bittencourt também enfatizou a importância da capacitação constante da equipe. “Quando a Caesp chega na unidade é porque as condições já estão estressantes e agir dentro da legalidade em um cenário como este exige muita técnica e treinamento.  Por isso, a capacitação, um trabalho bem executado e alinhado com as normas estabelecidas pelo Iases, vão permitir que vocês conquistem o respeito de todos. É o certo pelo certo. Essa responsabilidade de não errar cria o respeito entre os internos e a sociedade sócio educativa”, ressaltou.

Curso

O curso começou no dia 16 de novembro e teve o papel de fomentar a cultura operacional e ainda prestar esclarecimentos no que diz respeito a função, conduta e as responsabilidades que são inerentes aos membros de grupos especializados sejam eles de qualquer instituição. 

Por isso, durante dez dias, os agentes socioeducativos tiveram acesso às seguintes disciplinas: Direitos Humanos; Ética e Responsabilização Funcional, Conceito e Doutrina de Apoio Especializado; O Papel do Socioeducador; Ações de Inteligência Aplicados ao Apoio Especializado; Planejamento Operacional; Prática Apoio Especializado; Atendimento Pré-hospitalar e Tático.

Além disso, a capacitação visou a promover o aperfeiçoamento da equipe no nível tático e operacional para fins de atuação nos mais diversos cenários de acordo com as habilitações inerentes ao quadro correspondente, voltadas para as operações especializadas de segurança socioeducativa realizadas em ambientes internos e/ou externos, decorrentes de atividades e eventos que demandam recursos materiais e humanos especiais e postura organizacional não rotineira.

 

Leia mais

Leia também