Agência internacional de rating eleva perspectiva de classificação nacional de crédito do Banestes

A Fitch Ratings elevou a perspectiva da nota de rating nacional a longo prazo do Banestes de A+(bra), perspectiva negativa, para A+(bra), perspectiva estável. A revisão para estável reflete a expectativa da agência internacional de que os impactos da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) no modelo de negócios e no perfil financeiro do Banco foram menores do que os esperados, principalmente nos indicadores de qualidade de crédito e lucratividade.

Essa ação de rating também considera a manutenção dos bons indicadores de capital do banco, o que, no entender da Fitch, indica a boa capacidade do Banestes de absorver os potenciais efeitos negativos de um cenário econômico mais adverso e de manter as atividades. A agência acredita que o perfil financeiro do banco permanecerá compatível com sua classificação.

O relatório da Fitch traz vários pontos positivos para o Banestes. Destaca a estabilidade dos indicadores nos últimos anos e os padrões de subscrição do Banestes, que estão alinhados às práticas dos principais bancos nacionais. Em junho deste ano, por exemplo, a carteira do banco era composta por empréstimos a pessoas físicas (63,5%) e jurídicas (36,5%), apresentando perfil pulverizado, com os vinte maiores tomadores representando menos de 4% do total de créditos.

Segundo o relatório, a qualidade dos ativos do Banestes é adequada e o índice de créditos em atraso há mais de 90 dias se mantém controlado. A Fitch acredita que o Banestes conseguirá administrar a qualidade de sua carteira, mantendo os números nos patamares anteriores à pandemia.

A Fitch estima que, embora possa haver aumento nas despesas de provisão para os próximos períodos, a rentabilidade do banco deve se manter adequada, impactada positivamente pelo aumento da atividade econômica com o avanço da vacinação, o que também deve melhorar as receitas de serviços do banco.

Entre os pontos positivos do Banestes, destacados pela agência classificadora de riscos, estão o modelo de negócios do Banco, considerado como estável, oferecendo produtos diversificados; a qualidade da Administração, avaliada como adequada e experiente; e a governança corporativa, que vem sendo classificada como neutra para os ratings.

Ainda de acordo com o relatório, a estrutura de captação do Banestes é estável e diversificada. As principais fontes de financiamento do banco provêm de depósitos à vista, poupança e depósitos a prazo. O indicador de crédito sobre depósitos de clientes foi de 34,6% no primeiro semestre de 2021, em comparação com 32,6% em dezembro de 2020. No mesmo período de 2021, os ativos mais líquidos correspondiam a cerca de 50% do total de depósitos e letras financeiras, sendo compostos, principalmente, por títulos públicos federais.

A Fitch considera a liquidez do Banestes adequada e sua política de caixa mínimo, conservadora. Além disso, os reguladores adotaram medidas para limitar o impacto negativo na liquidez do mercado em geral. No entanto, a agência continuará monitorando as tendências da liquidez do Banestes, em virtude da evolução negativa do ambiente operacional.

O diretor-presidente do Banestes, José Amarildo Casagrande, destaca que o bom desempenho da instituição está ligado à adequação das estratégias adotadas no período. ” Além de superar os desafios desse período de pandemia e crise, o Banestes está preparado para atender a uma eventual retomada da demanda de crédito, seguindo a tendência de um cenário de recuperação da economia em 2022″, afirmou.

Texto: Jardel Torezani