Aedes aegypti: chuvas fortes aumentam o alerta para a proliferação do mosquito

Nesta semana, uma forte tempestade atingiu diversas regiões do Espírito Santo causando alagamentos e destruições em algumas cidades. Com isso, o alerta para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão da dengue, zika e chikungunya, está ainda maior.

A fêmea do inseto deposita seus ovos nas bordas dos recipientes com água parada. Após o contato com o líquido e a combinação com altas temperaturas, ocorre a eclosão dos ovos. O ciclo de reprodução perdura no período de uma semana, e para interromper esse processo é necessário que toda a população esteja empenhada e atenta aos possíveis criadouros.

O chefe do Núcleo Especial de Vigilância Ambiental, Roberto Laperriere Júnior, destaca que os cuidados para evitar a proliferação do vetor deve permanecer durante todo o ano, mas principalmente no período de chuva.

“É importante assegurar que objetos como pneus velhos, garrafas vazias, tampinhas, calhas, pratinhos de plantas, entre outros, não estão acumulando água. Principalmente após fortes chuvas, é necessário que cada cidadão realize vistorias frequentes em suas residências para evitar o aumento de casos dessas doenças. Vale ressaltar que aproximadamente 80% dos criadouros estão dentro das casas dos capixabas”, disse.

Veja aqui o 12º boletim dengue.

Veja aqui o 12º boletim zika.

Veja aqui o 12º boletim chikungunya.

Como prevenir

– Limpar o quintal, jogando fora o que não é utilizado;

– Tirar água dos pratos de plantas;

– Colocar garrafas vazias de cabeça para baixo;

– Tampar tonéis, depósitos de água, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa reservar água;

– Manter os quintais bem varridos, eliminando recipientes que possam acumular água, como tampinha de garrafa, folhas e sacolas plásticas;

– Escovar bem as bordas dos recipientes (vasilha de água e comida de animais, pratos de plantas, tonéis e caixas d’água) e mantê-los sempre limpos.

 

Leia mais

Leia também