Adolescentes do Iases participam de oficina para produção de vasos de cimento

A Unidade de Internação Provisória (Unip Norte) do Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases) está apostando na arte também como ferramenta da socioeducação. E o resultado são lindos vasos de cimentos que estão sendo produzidos pelos adolescentes internados na unidade. As peças ajudam a ornamentar a unidade trazendo mais leveza para o ambiente de trabalho e servem de incentivo para a economia solidária e empreendedorismo.

A oficina de vasos de cimento é ministrada pela agente socioeducativa Marlusa Lauers Pandolfi, em conjunto com a equipe pedagógica, e é voltada para os socioeducandos em cumprimento de medida de internação provisória e de internação.  Ao todo, 30 adolescentes participam da formação.

De acordo com a gerente da unidade, Rita de Cássia dos Santos Cortez, por meio das oficinas, a servidora tem proporcionado um espaço diferenciado com interação, trocas e escuta junto aos adolescentes.

“A oferta desta oficina vem ao encontro do momento vivenciado na Unidade que requer uma escuta silenciosa e reflexiva do comportamento e ações dos adolescentes que se misturam em suas diversidades. As etapas da oficina, sendo a construção dos vasos, o preparo da terra, plantar, regar e colher, trazem uma reflexão do caminho a percorrer para alcançar os objetivos. Trazem uma reflexão sobre a vida e suas possibilidades”, ressaltou Rita de Cássia dos Santos Cortez.

A formação é composta por quatro etapas de preparação que são: a fabricação da massa colocada em moldes, o processo de secagem, o lixamento e a pintura.

“Para dar início à nossa produção, os adolescentes confeccionaram vasos pequenos e colocamos suculentas dentro deles. Parte dessa produção foi entregue para as servidoras que são mães em comemoração ao Dia da Mães”, informou a responsável pela unidade.

Ela conta que agora, o objetivo da oficina é confeccionar vasos médios. “Vamos usá-los para cultivar pequenas hortas e oferecê-los aos servidores e familiares dos adolescentes para incentivar a economia solidária”, explicou.

Rita de Cássia dos Santos Cortez adiantou que a próxima etapa será a produção de vasos maiores. “A ideia é trabalhar o empreendedorismo com os adolescentes e familiares, tendo também como proposta a utilização desses vasos maiores dentre e fora da Unidade para revitalização de jardins e espaços afins”, frisou.

 

Texto: Fernanda Pontes

 


Leia mais

Leia também