Adolescentes da Unip Norte cultivam horta para consumo próprio

Produzir para consumo próprio. É com esse propósito que adolescentes que cumprem medida socioeducativa de internação na Unidade de Internação Provisória Norte (Unip Norte) cultivam, dentro da unidade, uma horta que fornece os legumes, as verduras e as frutas consumidas, diariamente, por eles e pela equipe que trabalha no local.

Mas a prática dessa atividade vai além disso. A gerente da unidade, Rita de Cássia dos Santos Cortez, afirma que o cultivo e o manejo da terra e da horta permitem desenvolver nos adolescentes questões ligadas aos Direitos Humanos. “A ação vai muito além de plantar, regar, podar, arar e colher. Nessa atividade, nós trabalhamos vários aspectos como a responsabilização, o comprometimento, o cuidado com as relações humanas, a empatia, o respeito à natureza e a sustentabilidade”, explicou.

O projeto, desenvolvido nos meses de fevereiro e março deste ano, integra um dos 23 que foram contemplados pelo edital do JuventudES Emergencial, um projeto do Programa Estado Presente em Defesa da Vida que é coordenado pela Secretaria de Direitos Humanos (SEDH), e tem parceria com o Instituto João XXIII.

Entre os produtos produzidos na horta estão: abóbora, alface, couve, cebolinha, salsa e coentro, alho poró, jiló, berinjela, beterraba, quiabo e até melancia. “Essa parceria possibilitou a compra de materiais e de instrumentos importantes para a manutenção da horta que ainda está em funcionamento ”, informou Rita de Cássia dos Santos Cortez.  

JuventudES Emergencial

A ideia do projeto surgiu depois que a SEDH percebeu que grupos de jovens em todo Estado têm se mobilizado para articular e organizar diferentes formas de contribuir com seus territórios durante a pandemia: distribuição de cestas básicas, de materiais de higiene e limpeza, crédito em bancos comunitários, redes de trocas de experiências e compartilhamentos de informações, entre outras ações. Essa participação solidária mostra a necessidade e a força de atuação das juventudes, assim como ressalta sua liderança nas comunidades em momentos de dificuldades.

Confira os projetos selecionados por eixo:

  •                   EIXO 1
  •                   EIXO 2

 

Programa Estado Presente em Defesa da Vida

O Projeto JuventudES Emergencial está no eixo de Proteção Social do Programa Estado Presente em Defesa da Vida. Tem como objetivo minimizar os impactos sociais e econômicos decorrentes da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), por meio da promoção da autonomia juvenil, e é executado como parte do projeto “Estado Presente: Segurança Cidadã”, em uma parceria entre o Governo do Estado do Espírito Santo e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O Programa Estado Presente em Defesa da Vida tem como objetivo reduzir os índices de violência e criminalidade, com foco especialmente em crimes letais, além de reduzir a vulnerabilidade da juventude à violência. Ele foi retomado no início de 2019 com o eixo policial e, em setembro do mesmo ano, foi lançado o eixo de Proteção Social.

 

Texto: Fernanda Pontes

Leia mais

Leia também