Acusado de matar ex-mulher médica é demitido da Polícia Civil do Espírito Santo

Demissão de Hilário Frasson foi publicada no Diário Oficial desta segunda-feira (14), mesma data em que o assassinato completa três anos.

Ex-policial civil Hilário Frasson é acusado de ser um dos mandantes do assassinato da ex-mulher

Hilário Frasson, acusado de mandar matar a ex-mulher, a médica Milena Gottardi, não é mais policial civil. A demissão dele foi assinada pelo governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), e publicada no Diário Oficial desta segunda-feira (14), mesma data em que o assassinato completa três anos.

O ex-policial estava recebendo salário de quase R$ 5.500 mesmo preso e agora deixa de receber.

A expulsão de Hilário da Polícia Civil foi decidida em maio pelo Conselho Estadual de Correição, mas o processo ainda precisava passar pela Secretaria de Gestão e Recursos Humanos, pela Secretaria de Governo e pelo governador, que assinou o decreto de demissão na última sexta (11).

Também foi decidido que ele não poderá assumir cargo público pelos próximos 10 anos.

O crime

Milena Gottardi morreu após ser baleada na cabeça quando saía do trabalho, no estacionamento do Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes, em Vitória.

Hilário e o pai dele foram acusados de serem os mandantes do crime. O ex-policial civil aguarda para ir a júri popular pelo crime e enfrentar o banco dos réus.

 

Leia mais

Leia também