Acordo por imposto corporativo global avança após receber apoio da administração Biden


Um acordo global definindo um piso para o imposto corporativo vem ganhando tração nas discussões entre países membros da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico ou Econômico). 

A administração Biden propõe aumentar o imposto sobre pessoa jurídica para 28% e deseja uma taxa global mínima de 21%, o que evitaria a evasão de impostos por parte das grandes empresas americanas para paraísos fiscais, como a Irlanda. 

A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, disse nesta segunda-feira (5) ser importante garantir que os governos “tenham sistemas tributários estáveis ​​que arrecadem receitas suficientes (para investimentos) em bens públicos essenciais e respondam a crises, e que todos os cidadãos compartilhem de forma justa o fardo de financiar o governo”. 

Com o apoio americano, a iniciativa vem acelerando também na Europa. “Agora é realista esperarmos alcançar um acordo neste ano sobre uma estrutura internacional por uma taxa de imposto mínima para empresas, assim como uma melhor tributação da economia digital”, afirmou Olaf Scholz, ministro das finanças alemão.

“Realocar os lucros para que grandes empresas digitais sejam tributadas nos países onde vendem segue sendo o foco do Reino Unido”, afirmou a Tesouraria britânica.

Apesar do otimismo, qualquer acordo teria de passar primeiro pelo Congresso americano, que tende a ser conservador ao tratar de temas tributários.

As informações foram reportadas no Financial Times.

Janet Yellen

Janet Yellen (Foto: Reuters / Joshua Roberts)

Leia mais

Leia também