Ações da população são importantes para evitar a proliferação do Aedes aegypti

Compartilhe

 

Responsável pela transmissão de diversas doenças que acometem a população brasileira – como dengue, zika e chikungunya – o mosquito Aedes aegypti se prolifera em locais com água parada. Para evitar a disseminação do inseto e buscar diminuir a contaminação, é necessário que cada cidadão faça a sua parte.

De acordo com dados da Secretaria da Saúde (Sesa), aproximadamente 80% dos criadouros no Espírito Santo estão localizados dentro das residências. Para que haja uma mudança nessa realidade, é necessário que sejam realizadas limpezas frequentes nos quintais; manter calhas limpas; garrafas de cabeça para baixo; escovar bem as vasilhas de água e comida de animais; entre outros cuidados.

O chefe do Núcleo Especial de Vigilância Ambiental, Roberto Laperriere Júnior, destaca a importância dessa ação. “É importante minimamente fazer a limpeza semanal, pois temos que considerar o ciclo biológico do mosquito que ocorre entre três a oito dias. Eliminando o foco nesse período, conseguimos inibir a proliferação”, ressaltou.

Veja aqui o 16º boletim da dengue.

Veja aqui o 16º boletim de zika.

Veja aqui o 16º boletim chikungunya.

 

Ciclo de reprodução do mosquito

A fêmea do Aedes aegypti deposita seus ovos nas bordas dos recipientes com água limpa e parada. Dois ou três dias após o contato com o líquido, os ovos viram larvas e dias depois chegam na fase da pupa. Esse ciclo dura cerca de 48 horas e, ao término, se transformam em mosquitos adultos.

Os ovos do mosquito são resistentes e sobrevivem até mesmo por um ano em um local seco. Quando este local recebe água limpa, em cerca de meia hora de submersão este ovo pode se desenvolver.

O inseto leva em média 10 dias para se desenvolver e vive durante 30 dias. Uma única fêmea produz de 60 a 120 ovos em cada ciclo reprodutivo e pode ter mais de três ciclos durante sua vida.

Como prevenir

– Limpar o quintal, jogando fora o que não é utilizado;

– Tirar água dos pratos de plantas;

– Colocar garrafas vazias de cabeça para baixo;

– Tampar tonéis, depósitos de água, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa reservar água;

– Manter os quintais bem varridos, eliminando recipientes que possam acumular água, como tampinha de garrafa, folhas e sacolas plásticas;

– Escovar bem as bordas dos recipientes (vasilha de água e comida de animais, pratos de plantas, tonéis e caixas d’água) e mantê-los sempre limpos.

Barra de São Francisco zera número de casos de dengue no município

 

De carro ou a pé, o Fumacê está nas ruas de Barra de São Francisco no combate a Dengue

Leia também

Café produzido no Estivado vence 1º Concurso de Café Conilon de Jaguaré

O ganhador do 1º Concurso de Café Conilon de Jaguaré foi conhecido no último sábado (03), durante o...

Semte entrega mais um bueiro, desta vez na propriedade do Tiãozinho, no córrego do Itá

A Prefeitura de Barra de São Francisco, através da Secretaria de Transportes e Estradas (Semte) construiu mais um...

Homem é esfaqueado pelo próprio irmão no interior de Nova Venécia

Na tarde de sábado (02), militares deslocaram ao Córrego Tibúrcio, zona rural de Nova Venécia, onde teria ocorrido...

Em quase um ano e meio, hortão municipal teve produção recorde de legumes verduras

A distribuição de verduras e legumes continua sendo realizadas dia a dia por servidores da secretaria de Agricultura...

ES: menina de 4 anos é deixada de castigo, ajoelhada no cimento com mãos para trás e rosto virado para parede

Os pais de uma menina de quatro anos foram levados para a delegacia depois de uma denúncia de...

Cinco cidades atingidas por chuvas intensas receberão R$ 4,9 milhões para ações de defesa civil

Cinco cidades brasileiras atingidas por chuvas intensas vão receber cerca de R$ 4,9 milhões para ações de defesa...

Capital Inicial, Zezé Di Camargo, Alemão do Forró e mais: veja a agenda cultural do Espírito Santo

Confira a agenda cultural com shows e outros eventos marcados no Espírito Santo nos próximos dias. Zezé Di Camargo...