Abertura de parques nacionais leva em conta medidas de prevenção ao Coronavírus

Parque Nacional abertura

– Foto:
Nilton Rolin /Cataratas do Iguaçu S.A

Em tempos de pandemia, aos poucos, o turismo vai voltando a respirar. O Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMBio) autorizou a reabertura para visitação de quatro parques nacionais observando todas as medidas de prevenção contra a Covid-19. São eles: Aparados da Serra; Serra Geral, ambos no Rio Grande do Sul; o de Brasília e o de Foz do Iguaçu, no Paraná.

A retomada das atividades nesses locais será gradual e deverá respeitar as determinações de governos estaduais e municipais. A população também deverá seguir medidas de proteção, como uso de máscara facial e álcool 70%. Por causa da pandemia, a visitação pública nas unidades de conservação foi suspensa em março.

“O quadro é dinâmico. Chegamos, portanto, num momento que é possível fazer, de forma segura, a reabertura gradual de nossas unidades”, explicou o diretor de Criação e Manejo de Unidades de Conservação do ICMBIo, Marcos Simanovic.

No Parque Nacional de Brasília, por exemplo, que reabriu as portas nesta semana, os visitantes deverão respeitar o espaçamento mínimo de dois metros entre eles; e há a limitação, nesta primeira fase, de 300 pessoas por dia. Pelos próximos 30 dias, o local não cobrará ingressos e não permitirá o uso das piscinas e nem a visitação de algumas trilhas. A expectativa é de que a partir do 31º de abertura, o número de visitantes passe para 400 pessoas, e do 61º dia em diante, a visitação volte ao limite regular.

Nos parques nacionais do Rio Grande do Sul, o número de visitantes também foi reduzido até o limite de 40% de sua capacidade de público, observando o distanciamento entre as pessoas. A venda de ingressos e os agendamentos devem ser feito de forma on line.  

E no Paraná, o Parque Nacional do Iguaçu, onde ficam as famosas cataratas, os cuidados também foram redobrados. Na primeira fase de reabertura, as visitações ocorrem de terça feira a domingo, das 9h às 16h. E, todos os dias, o local vai passar por um processo de sanitização para oferecer mais proteção aos turistas. A venda dos ingressos também será apenas on line e haverá limitação de público por horário para manter o controle e o distanciamento entre as pessoas.

“Vamos continuar com essa reabertura gradual das visitações nas unidades de conservação federais, porém, nós precisamos observar uma série de condicionantes para isso de uma maneira bastante segura”, disse o diretor do ICMBio.

Segundo ele, é preciso observar as regionalidades em todo país para reabertura dos locais. “Nós consultamos a cada um dos estados e municípios para saber quais são as condições locais; e, logicamente, recebermos um sinal positivo para proceder com a reabertura das visitações”, acrescentou.

 Algumas das regras estabelecidas pelo ICMBio, segundo o Ministério do Meio Ambiente, são:

– Uso obrigatório de máscara de proteção facial, ainda que artesanal, durante todo o período que estiver no interior do parque;

– Disponibilizar álcool gel 70% ou produto de higienização para as mãos nas estruturas abertas à visitação e nos transportes terrestres e aquaviários, por meio dos operadores e prestadores de serviços;

– Remover jornais, revistas, panfletos e livros dos locais de comum acesso para evitar a transmissão indireta;

– As máquinas de débito e crédito devem estar fixas ou envelopadas com filme plástico e desinfetadas após cada uso;

– No caso de restaurantes, é necessário manter o distanciamento mínimo entre as mesas (2 metros) e cadeiras (1 metro), como também nos ambientes de espera e filas de caixas, com demarcação no piso.

– Proceder a higienização e desinfecção de objetos (inclusive cardápios) e superfícies comuns, como as mesas e cadeiras após cada utilização;

– Os transportes terrestres e aquaviários de visitantes deverão priorizar a ventilação natural. Ao final de cada viagem, deve ser realizada a limpeza e desinfecção dos veículos;

– Respeitar a capacidade de transporte de cada tipo de veículo e evitar superlotação ou aglomeração

 Resorts e parques aquáticos

 Resorts e parques aquáticos também se preparam para o retorno das atividades aqui no Brasil. Segundo o Ministério do Turismo, protocolos de segurança e de saúde têm sido o norte para a gradual e responsável reabertura dos principais segmentos turísticos no Brasil.

Entre as mudanças previstas, estão a realização do check-in de forma online e o uso obrigatório de máscaras em todos os ambientes sociais dos empreendimentos. O setor também trabalha com a possibilidade de uso de pulseiras de aproximação, em substituição aos cartões de acesso aos quartos.

As piscinas, restaurantes e demais áreas de lazer também teriam procedimentos próprios para evitar aglomerações e garantir segurança sanitária. Os restaurantes podem oferecer espaços especiais para as famílias garantindo o contato mínimo entre os hóspedes e assegurando a proteção aos funcionários; e, ao invés de self-service, os pratos seriam disponibilizados em serviços à la carte.

 

Leia mais

Estudo aponta que marco do saneamento pode aprimorar modelo de gestão entre municípios

O marco regulatório do saneamento básico, aprovado e sancionado em julho deste ano, deve aprimorar o modelo de gestão dos consórcios intermunicipais. A conclusão...

Operação policial em Barra de São Francisco termina com 4 presos e drogas apreendidas

Operação Integrada PM e PC, realizada nos dias 13 e 14 em Barra de São Francisco, prende 4 pessoas, apreende drogas e animais silvestres. Em...

ENTREVISTA (1): Dubladora da Princesa Leia, Mabel Cezar fala sobre a carreira

Olá, eu sou a Sara Rodrigues, e no Agência Entrevista de hoje eu vou bater um papo com a dubladora de personagens muito conhecidas...

Governo lança Programa para fortalecer economia rural e promover a saúde

Foto: Rodrigo Araujo/Governo-ES Disponibilizar alimentos saudáveis na mesa de...

Leia também