A pé, pai carrega cruz de Colatina ao interior de Nova Venécia para pagar promessa • SiteBarra

A pé, pai carrega cruz de Colatina ao interior de Nova Venécia para pagar promessa

 

» Na caminhada da fé, Charles (com a cruz na mão) contou com a esposa e amigos, até chegar em sua casa

Após o filho ter sido picado por escorpião, morador do Córrego da Pedra que teve filho desenganado pelos médicos, percorreu 155 quilômetros com a cruz de cinco quilos nas costas, durante toda caminhada


Reportagem: Cintia Zaché / Rede Notícia“Deus salvou meu filho, os médicos já tinham o desenganado, depois dele ter sido picado por um escorpião. Eles disseram que já tinham feito tudo que podiam, e que era só aguardar o óbito”.

O depoimento de fé é de Charles Seberino de Moraes, 32 anos, morador da comunidade de Córrego da Pedra, no interior de Nova Venécia, que ao ver seu primogênito à beira da morte, curvou os joelhos e pediu a graça, para que Deus salvasse seu filho da morte.

Uma promessa foi feita nos momentos mais difíceis da vida do lavrador. E foi o que aconteceu. Timóteo Pereira Seberino de Morais, de apenas três anos, está desfrutando de muita saúde, e o pai, cumpriu a promessa: caminhou carregando uma cruz de 5 quilos com dois metros e 38 centímetros de comprimento, por sete dias, percorrendo os 155 quilômetros, de Colatina ao Córrego das Flores.

Junto com o pai, a mãe do menino, a mãe Fernanda, e os amigos Raimunda de Barros Freisleber (a Dinha), Adélia Schneider Magalhães, Gilvanio Santos, José Augusto de Moraes da Cunha e Harlen Paulo Pereira, também fizeram parte do momento de fé, que segundo eles, atraiu muita gente pelo percurso. “Por onde passávamos, éramos bem recebidos e cumprimentados por moradores, que até choraram, foi muito bonito e emocionante”, disse Charles.

Durante o trajeto, sol e chuva e cinco paradas para dormir, com chegada na casa da família. “”Me perguntaram por que finalizei a caminhada em minha casa e não em uma igreja. O padre Francisco fala da Igreja Doméstica, e a minha casa reflete isso. É onde a gente mora, onde construímos nossa família”, explica.

A caminhada para pagar a promessa começou no último dia 8 e terminou no dia 13, nesta segunda-feira. O Charles e os amigos que seguiram junto no percurso, tiveram apenas calos nos pés, já marcas da cruz nas costas do lavrador, nada. “Por incrível que pareça, somente tivemos as bolhas, a fé em Deus nos amparou o tempo inteiro”, diz a amiga que também participou do trajeto, a Dinha.


Picada que quase levou à morte

No último dia 13 de setembro, Timóteo foi picado por um escorpião e foi levado ao hospital, primeiro atendimento foi em Nova Venécia, depois em Colatina.

“Eu e a Fernanda estávamos na sala de atendimento e a doutora disse três vezes, três frases. A primeira foi: “o que tinhamos que fazer, já fizemos! Minutos depois: a qualquer momento ele irá a óbito! E depois, “vocês demoraram muito a trazê-lo” Minutos adiante ela chamou e disse: “a qualquer momento ele pode vir a óbito, tenho que preparar vocês!”.

O casal disse que mesmo com o maior desespero da vida deles, em meio ao medo, a fé falou mais alto, e as orações permaneceram, junto à promessa. “Percorremos 29 quilômetros, foram 19 minutos até o hospital, no primeiro atendimento. Quando já estávamos em Colatina, no Hospital São José; o médico disse a mesma coisa, que o caso do Timóteo era grave, muito grave! Qualquer momento pode dar uma parada cardíaca; ele estava com 189 batimentos por minuto. A gente rezava, muita gente rezava, e bota muita gente nisso”, relatou Charles, que ainda prossegue em seu depoimento: “Eu e a Fernanda rezávamos com a imposição das mãos sobre ele e pedíamos a Deus pela vida dele, rezava pelo anjo, e pedia a intercessão de Santa Vianna para Timóteo e os médicos”.

Depois de todo sufoco e 10 dias internado, Timóteo se recuperou, está em casa, e junto com o irmão, o Apolo, é a alegria do lar. “Estou feliz por Deus dar a graça do pedido de muitas pessoas que intercederam através de suas Orações e Devoções Marianas e Santos de devoções, intenções e Orações nas Missas e Cultos. Deus ouviu”, finaliza.

» Depois do sufoco, Timóteo desfruta de muita saúde