A NOSSA MÚSICA

A música esta sempre presente em nossas vidas. Eu não imagino um mundo sem música. Passa o tempo e algumas canções ficam gravadas na memória de todos nós.

 

 

Eu estou na fase dos 4.0 e as vezes as estagiarias e funcionários da promotoria me pegam ouvindo jovem guarda. Não posso esquecer quando o alto falante de uma loja de tecidos de minha cidade natal tocava “o calhambeque”, de Roberto Carlos. Nos meus devaneios eu pensava como pode o Roberto ter mil garotas querendo andar no seu carro e nem uma disposta a andar na garupa da minha bicicleta. Na época deveria estar com dez anos e por certo não iria agüentar pedalar para duas pessoas.

 

A música também pode registrar uma antiga paixão. No meu caso, nunca me esqueci daquela melodia do Roupa Nova. “Se você vê estrelas demais lembre que um sonho não volta atrás chega perto e diz: “Anjo!”. Se você sente o corpo colar solte o seu medo bem devagar chega perto e diz: “Anjo!” Bem mais perto diz: “Anjo!”. Tocava a música e o meu coração doía por causa da moça. Ela me via e nem sabia que eu existia.

 

Depois outra moça encasquetou que eu gostava dela, mas que a minha timidez não me deixava dizer o que sentia, neste caso, não era verdade. Segundo ela, a minha música era outra do Roupa Nova. “Confessar sem medo de mentir que em você encontrei inspiração para escrever…Você é pessoa que nem eu que sente amor mas não sabe muito bem como vai dizer…”.

 

Já na faculdade, uma menina me ofereceu uma música que dizia: “Eu quero que risque o meu nome da sua agenda esqueça o meu telefone não me ligue mais porque já estou cansado de ser o remédio pra curar o seu tédio, quando seus amores não lhe satisfazem…” . Os mais novos podem ter visto esta letra nas vozes de Bruno e Marone, mas na época era sucesso do Trio Parada Dura.

 

A minha grande paixão não correspondida foi a Letícia Sabatela e a nossa música era codinome beija flor, do Cazuza.”Pra que mentir fingir que perdoou tentar ficar amigos sem rancor. A emoção acabou que coincidência é o amor a nossa música nunca mais tocou…”. Ela fazia par romântico com Ângelo Antunes e na novela ele tinha o nome de “Beija Flor”. Letícia Sabatela, “Delícia, delícia assim você me mata Ai se eu te pego, ai ai se eu te pego…”, música de Michel Teló.

Texto: Creumir Guerra
Creumir Guerra é Promotor de Justiça no Estado do Espírito Santo

Veja mais sobre Creumir Guerra

Leia mais

Três estabelecimentos vizinhos são furtados durante a madrugada em Nova Venécia

O cofre da loja Hiper Doces foi arrombado Três...

Governo entrega alimentos para comunidade cigana no DF

Cerca de 40 fam;ilias integram a comunidade cigana Nova Canaã. – Foto: ...

5 dicas para afastar a solidão na quarentena

Estamos vivendo um período desafiador, em que a...

Leia também