Assistência farmacêutica estadual recebe curso de primeiros socorros do SAMU 192

Para oferecer o primeiro atendimento de forma correta aos usuários que por algum motivo passam mal dentro das dependências das Farmácias Cidadãs Estaduais até a chegada da equipe de emergência, os profissionais da Gerência de Assistência Farmacêutica do Espírito Santo (GEAF) receberam, nesta quarta-feira (12), o treinamento de primeiros socorros realizado por socorristas que atuam no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192).

Farmacêuticos, assistentes sociais e nutricionistas que atuam nas farmácias aprenderam procedimentos básicos de atendimentos para lidar na primeira ação em situações que possam envolver, por exemplo, convulsão, ataque cardíaco, obstruções parcial e completa, acidente vascular cerebral, entre outros.

Segundo a coordenadora da GEAF, Gabrieli Fernandes, “enxergamos há algum tempo esta necessidade a partir de relatos da própria equipe, que demonstrava interesse em atuar da melhor forma possível no atendimento de primeiros socorros aos usuários e ofertar assistência antes da chegada do socorro especializado”. Diante disso, a coordenadora buscou a parceria com o SAMU 192 “como uma forma de poder capacitar cada vez mais aqueles que trabalham com o público para emergências que possam acontecer”.

Um dos facilitadores, o enfermeiro Juliano Freitas, do Núcleo de Educação Permanente do SAMU 192, destacou que é importante que os profissionais sejam replicadores dos conhecimentos e ressaltou a importância deles em aprender os primeiros socorros. “Eles lidam diretamente e diariamente com os usuários e essa capacitação os ajuda a ter noções básicas de primeiros socorros para poder auxiliar a população”.

Além disso, de acordo com a coordenadora das Farmácias Cidadãs Estaduais, Laís Frigini Postay, com a capacitação objetiva-se também evitar agravos ainda maiores antes que o socorro chegue. “Deixamos claro que a farmácia não é local de atendimento de Urgência e Emergência, não temos competência para tratar situações desse tipo. Mas, com a capacitação, queremos propiciar um acolhimento de forma imediata, evitando agravos maiores, tumultos e situações que atrapalhem o atendimento enquanto o serviço especializado não chega”.

Para a coordenadora da Farmácia Cidadã Estadual Metropolitana, Maria Cipriano, o treinamento lhe proporcionou o preparo necessário para eventuais acontecimentos. “Sentimos mais segurança para realizar o atendimento ao usuário antes que o atendimento especializado chegue”.

A ideia compartilhada pela coordenadora da Farmácia Cidadã Estadual da Serra, Grazielle Massariol. “É um espaço de conhecimento importante, pois podemos ser o primeiro socorro que o usuário terá quando tiver no ambiente da Farmácia. Sentíamos essa necessidade e agradeço pela oportunidade que estamos tendo com essa capacitação hoje”, disse.