Mensagens Trocadas (Bia Tannuri)

Fábio era fisioterapeuta e tinha preferência pelo tratamento de pessoas idosas. Gostava de trabalhar com os seus velhinhos como ele costumava chama-los de forma carinhosa. Achava que apesar das limitações próprias da idade tinham maior dedicação ao tratamento que as pessoas mais jovens, se bem que existiam as exceções. Fábio trabalhava muito tinha os clientes … Ler mais Mensagens Trocadas (Bia Tannuri)

Churrasco na Laje (Conto de Bia Tannuri)

Antonio era o segundo filho de Sebastião e Matilde e Onofre o mais velho. Os quatro formavam uma família Humilde, porém unidos e felizes e por mais limitada que estivessem às finanças da casa sempre sobrava algum para fazer um churrasco, cenário de todas as comemorações de batizado a casamento passando até por velório, como … Ler mais Churrasco na Laje (Conto de Bia Tannuri)

O VELORIO (Conto de Bia Tannuri)

Era um domingo chuvoso, triste mesmo. Podia-se dizer tratar de um dia perfeito para um velório. Eugenia passou a noite acordada ao lado do corpo do marido morto que estava sendo velado na sala de jantar. Ela estava inconsolável e não atendeu de jeito nenhum aos inúmeros pedidos de amigos e parentes para ir descansar … Ler mais O VELORIO (Conto de Bia Tannuri)

Dizem que eu morri (Conto de Bia Tannuri)

Mercedes era a primeira dançarina do grupo de dança do Teatro “El Tango” em Buenos Aires e fazia par com o charmoso Carlos, que para pesar de Mercedes vivia cercado pelas damas. Mercedes era apaixonada por Carlos, mas se contentava em ser apenas sua parceira de dança já que o rapaz estava longe de ser … Ler mais Dizem que eu morri (Conto de Bia Tannuri)

Dr Creumir Guerra: “o acusado morto não está falecido. Prenda-o então”

A pessoa que é condenada pela pratica de um crime recebe uma pena. Esta pena será declarada extinta pelo seu integral cumprimento; pela prescrição: quando o Estado não consegue executar em um lapso temporal previsto em lei e pela morte do apenado, além de outras. Em todas as causas a declaração de extinção de punibilidade … Ler mais Dr Creumir Guerra: “o acusado morto não está falecido. Prenda-o então”