Dois capixabas viram réus em ação por desvio em fundos de pensão

Dois capixabas ex-diretores da Funcef, Fundo de Pensão dos Funcionários da Caixa Econômica Federal, viraram réus por conta de supostas fraudes cometidas em fundos de pensão de empresas estatais.

Além de Carlos Alberto Caser, ex-presidente da Diretoria Executiva, e Guilherme Narciso de Lacerda, ex-diretor-presidente da Funcef, também são alvos da ação outras 14 pessoas, entre elas o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, já condenado por corrupção na Lava-Jato.

A decisão foi tomada pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, no âmbito da Operação Greenfield.

“Conforme descrito pela acusação, o valor do prejuízo acumulado com essa operação criminosa, até 13 de julho de 2015, é de, no mínimo, R$ 402.000.000,00 (quatrocentos e dois milhões de reais)”, afirma o juiz federal.

Vaccari já foi condenado a nove anos de prisão em uma ação e a 15 anos em outro processo – ambas as sentenças proferidas pelo Juiz Federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância.

Os advogados de Guilherme Lacerda afirmaram que ainda não tiveram contato com a decisão, mas afirmaram que Lacerda está tranquilo com relação as acusações. Segundo eles, “todos os investimentos respeitaram os critérios técnicos exigidos pela Funcef e seguiram as melhores práticas do mercado, inclusive com pareceres internos e de consultorias de empresas especializadas na análise de investimentos, com reputação reconhecida”.

Os advogados de Carlos Alberto Caser foram procurados pela reportagem para comentar o caso, mas não foram encontrados.