Após prejuízo e destruição deixados por lama da Samarco, ações de reparação devem gerar 2,7 mil empregos no ES

Adroaldo Alves é pescador na região atingida pela lama da Samarco, no Espírito Santo (Foto: Bernardo Coutinho/A Gazeta)

Após a destruição e o prejuízo gerados pelo rompimento de uma barragem da Samarco, em 2015, as cidades do Espírito Santo afetadas pela chegada da lama de rejeitos vão receber obras de reparação, que devem gerar 2,7 empregos. Cursos de capacitação gratuitos serão oferecidos e a expectativa é de que 70% da mão de obra seja legal.

As obras de reparação são executadas pela Fundação Renova, instituição criada para reparar os danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão, no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, Minas Gerais, em novembro de 2015

Segundo a fundação, a reconstrução deve movimentar R$ 1,4 bilhão no Estado até 2020. A premissa é destinar 50% do valor investido em contratações de empresas locais.

Na próxima semana, será realizado o segundo ciclo de capacitações para empreendedores em Linhares e Colatina.

Os eventos são abertos, gratuitos e têm o objetivo de preparar as micro e pequenas empresas ou pessoas que tenham interesse em novos negócios para atenderem os requisitos exigidos, como os de saúde, segurança, suprimentos, ações de transparência e planejamento financeiro.

A iniciativa tem parceria com o Findes, o Bandes, o Sine, as CDLs locais e as associações comerciais. Os eventos também terão ações para o cadastramento das empresas.

Ações

Os investimentos serão em ações de reassentamento, recuperação de nascentes, manejo de rejeitos, reflorestamento e tratamento de água e esgoto.

A previsão é de que os cursos de capacitação sejam oferecidos a partir do segundo semestre deste ano.

Serviço:

Capacitação e cadastramento de fornecedores locais

– Linhares

Dia 31/05, às 16h

Local: Sindimol

– Colatina

Dia 01/06, às 16h

Local: Hotel Ágil

– Baixo Guandu

Dia 23/06, às 8h

Local: ACIASA (em Aimorés)

Negócios em potencial no Estado

Construção civil: construção predial, infraestrutura, redes de água e esgoto, engenharia de projetos

Meio ambiente e reflorestamento: serviços de gestão e controle ambiental, reflorestamento, reciclagem

Agronegócio: produção de alimentos (fruticultura, hortaliças), pecuária (corte e leite)

Comércio: material de informática, papelaria, peças para automóveis, pneus, farmácia, material de escritório, material de construção, adubos, mudas e cercamentos, uniformes e EPI’s

Serviço: hotelaria, refeições, qualificação profissional, serviços ambientais (monitoramento transporte de resíduos, paisagismo e jardinagem), saúde, gráfica, manutenção automotiva, manutenção de máquinas pesadas e transporte rodoviário

Turismo: turismo de negócios, turismo de lazer e turismo ecológico;

Fonte: G1