Após diminuição no teor de sal, São Mateus libera água para consumo

Depois de cerca de dois meses recebendo água salgada, a população de São Mateus, no Norte do Estado, já pode consumir a água que chega nas torneiras de casa. O teor de sal diminuiu e a água encontra-se dentro do padrão de potabilidade.

Segundo o diretor do Saae do município, Luiz Carlos Sossai, desde a última sexta-feira, o teor de sal na água, que chegou a 6,2 mil ppm (partícula por milhão), é de 73,6 ppm. O índice está bem abaixo do limite permitido pela Agência Nacional de Saúde (ANS), que é de 250 ppm.

“O mar recuou e o Rio São Mateus recebeu água da chuva de municípios como Nanuque e Boa Esperança, na cabeceira norte, e Barra de São Francisco e Mantena, na cabeceira sul. Isso contribuiu para que a água ficasse própria para o consumo, dentro dos padrões de potabilidade”, explicou Sossai.

O município já suspendeu a distribuição de água em caminhões-pipas desde esta segunda-feira. De acordo com Sossai, continuam recebendo água mineral apenas as comunidades do interior, como Nossa Senhora da Penha, Paulista e Morro das Araras, do bairro Liberdade e das casas novas do bairro Litorâneo.

Guriri

O diretor do Saae de São Mateus, Luiz Carlos Sossai, também informou que o abastecimento do balneário de Guriri, feito hoje por meio de poços artesianos, poderá ser realizado com a captação da água do Rio Mariricu.

O índice de sal na água do rio, que ultrapassou 15 mil ppm em alguns momentos, chegou a 1.794 ppm nesta segunda-feira (14). De acordo com Sossai, a tendência é que a situação melhore.

“O Rio Mariricu é um braço do Rio São Mateus. Quando o Rio São Mateus desce em direção ao mar, forma uma barreira natural e empurra o mar de volta”, explicou.

A captação da água do Rio Mariricu foi suspensa há mais de um ano. “Precisamos de mais chuva e que a população continue economizando água”, pediu o diretor do Saae.