Messi para quê? Neymar, Suárez e Iniesta brilham, e Barcelona destroça Real

RESUMÃO / GloboEsporte.com

  • O JOGO

    A expectativa sobre a presença de Messi no clássico, no fim das contas, foi infundada. O Barcelona não precisou de seu camisa 10 para destruir o Real Madrid no Santiago Bernabéu, casa do rival. Com Neymar, Suárez e Iniesta inspiradíssimos, os catalães golearam por 4 a 0 numa exibição de gala, na qual foram senhores do jogo por todo o tempo. O brasileiro marcou o seu, deu passe para o espanhol fazer um golaço, e o uruguaio deixou dois. Aos merengues, de um Cristiano Ronaldo abatido e sem reação, restou apenas correr atrás da bola.

  • DESTAQUEDISPAROU

    Além da vitória expressiva, o Barcelona abriu ainda mais distância na liderança do Campeonato Espanhol. Agora, soma 30 pontos, contra 24 do Real Madrid. O Atlético de Madrid, com 23, ainda joga na rodada e pode assumir a segunda colocação. Confira a tabela.

  • DESTAQUENEYMAR

    O brasileiro voltou a se destacar pelo Barça. Desta vez, fez um gol, seu 12º no Espanhol, o que o deixa como artilheiro, um à frente de Suárez, e deu belo passe de letra para Iniesta marcar o dele. Além disso, participou das principais jogadas dos catalães e levou vantagem sobre seus marcadores.

  • DESTAQUEMESSI

    Recuperado de uma lesão no joelho esquerdo, o argentino começou a partida no banco de reservas. Entrou em campo aos 11 minutos do segundo tempo, quando o jogo já estava definido. Atuou mais recuado, armando as jogadas para os companheiros.

  • DESTAQUEDONOS DO JOGO

    O Real Madrid começou a partida dando sinais de que tentaria ser protagonista, sufocando o Barça na saída de bola. Mas isso durou pouco. Rapidamente os catalães acharam a rota para escapar da marcação e, a partir daí, tomaram conta da partida. Foi à base de longas trocas de passe que a equipe construiu a goleada. Suárez completou a jogada que acabou na rede com maior envolvimento do adversário no Espanhol: 24 toques antes da finalização.

  • DESTAQUEPARA ESQUECER

    Cristiano Ronaldo teve uma atuação muito apagada. O português apareceu mais nas câmeras – era focalizado a cada gol do Barcelona – do que em campo. Sua melhor chance foi no fim do jogo, numa cabeçada defendida por Bravo.

  • DESTAQUEHOMENAGEM

    Antes da partida, houve uma homenagem à França, palco de um atentado terrorista na última semana. Um minuto de silêncio foi respeitado, e o hino do país vizinho tocou. A torcida local ainda exibiu gigante bandeira francesa.