Deus ajuda quem cedo madruga? A ciência discorda disso

0260c200-5aee-11e5-8e93-d50189b210a0_acordar-cedo (1)A notícia que você sempre esperou finalmente chegou: especialistas garantem que o mundo seria muito melhor se as atividades rotineiras começassem apenas depois das 10 da manhã. Quem diz isso é Paul Kelley, um dos grandes especialistas em sono no mundo.

“Hoje temos um problema gigantesco para a sociedade, que são as noites mal dormidas. Nós somos uma sociedade que se priva do sono em um aspecto geral, mas a coisa piora muito no grupo de pessoas entre 14 e 24 anos. E isso causa graves problemas para a saúde mental, física e para o desenvolvimento”, afirmou ele ao inglês The Guardian.

Para resolver esse tipo de problema, Kelley aponta uma solução bastante simples. Claro, a mudança de horários. Segundo o especialista, focando, por exemplo, no período escolar, os horários ideais de início das aulas seriam, de acordo com a faixa de idade: 8:30 para crianças de 8 a 10 anos, 10:00 para adolescentes de até 16 a nos e 11:00 para jovens de 18 anos.

A mesma lógica das crianças e adolescentes se aplicam aos adultos. Apesar de já terem completado o desenvolvimento, eles também precisam dormir mais. Nesse caso, indica o especialista, o ideal é que todos os turnos de trabalho começassem às 10:00. Se assim fosse, garante ele, a saúde mental das pessoas seria bem melhor se comparada ao que vemos hoje.

Para dar uma dimensão sobre a importância do sono, o especialista cita o tempo que passamos dormindo em nossa vida: nada menos do que um terço dela. Por isso, ele acha que médicos e autoridades deveriam se unir em torno de uma resolução prática de problemas com horários como os citados. Como afeta muito a parte mental das pessoas, o sono pode ser causador de diversos problemas sociais.

“Mudando a rotina das crianças mudaremos a dos adultos. Se com dez anos você vai à escola de maneira mais saudável, quando tiver 55 você provavelmente será uma pessoa com a saúde melhor. Esse tipo de mudança é gradual e demorada, mas é importante para o desenvolvimento de nossa sociedade com uma melhora significativa”, conclui o especialista.