TelexFree – Vítimas do golpe milionário começam a receber parcelas em cheques

Vítimas da Telexfree nos EUA recebem 1ª devolução de dinheiro, de US$ 205

É a primeira vez que eles recebem algum dinheiro de volta desde o início das investigações nos EUA, no ano passado.

Mais de 14 mil vítimas da Telexfree no Estado de Massachusetts, incluindo muitos imigrantes brasileiros, receberam nesta semana um reembolso de US$ 205,52 cada (cerca de R$ 715,85), segundo informações do jornal norte-americano Boston Globe.

É a primeira vez que eles recebem algum dinheiro de volta desde o início das investigações nos EUA, no ano passado.

propaganda

O dinheiro corresponde a apenas uma parte das perdas, afirmou o secretário de Estado de Massachusetts, William Galvin, ao jornal. “Muitas pessoas não esperavam receber nada nunca mais”, disse. “Estou grato que conseguimos reaver algo para essas vítimas.”

WILLIAN GALVIN

No total, as vítimas de Massachusetts receberam US$ 2,9 milhões, como parte de um acordo de US$ 3,5 milhões feito com o banco Fitchburg, ligado ao caso.

sede telexfree

A Telexfree vendia planos de minutos de telefonia pela internet (VoIP). No Brasil, continua o processo de investigação  por suspeita de pirâmide financeira e está com as atividades suspensas há dois anos. Nos EUA, foi formalmente acusada.

Com promessas de grande retorno em pouco tempo, os esquemas de pirâmide financeira são considerados ilegais porque só são vantajosos enquanto atraem novos investidores. Assim que os aplicadores param de entrar, o esquema fica insustentável,  não tendo portanto como cobrir os retornos prometidos e entra em colapso.

A Ympactus, que representa a Telexfree no Brasil, negava a acusação e afirmando que trabalhava com “marketing multinível”.

A ISCA.

Porém, o que deveria ser motivo de esperanças de receber o investimento desastroso na farsa chamada TELEXFREE, vem causando certo pânico para alguns brasileiros da comunidade, que além de estarem ilegalmente nos E.U.A., tem pendências judiciais tais como intimações à côrte americana por crimes de pequeno ou grande porte, tendo em vista que, muitos destes que investiram na telexfree pensavam estarem bem escondidos, mas receberam os cheques em seus endereços e em seu nome, tendo em vista que muitos destes também utilizavam nome e passaporte falsos, questionando aí como que foram localizados para receberem os cheques em seus endereços que supostamente seria secreto aos olhos das autoridades americanas.  Muitos cogitam a ideia de que isto seja uma isca, pois o governo poderá rastrear a compensação destes cheques um por um, e depois vir a investigar. Todos sabem que os Estados Unidos não é uma terra de leis frouxas como temos no Brasil, e aliás, são muito eficientes nas investigações.

propaganda

Processos na Justiça e laudo questionado.

Há processos contra a Ympactus e a Telexfree correndo em vários Estados brasileiros.

Somente no Acre, cerca de 70 mil pessoas aderiram ao negócio, segundo estimativa do Ministério Público Estadual (MPE/AC). Isso significa que, de cada dez moradores do Acre, um virou divulgador da Telexfree.

Em julho do ano passado, a Justiça bloqueou os bens dos donos da empresa no Espírito Santo.

Em janeiro deste ano, o Ministério Público Federal do Espírito Santo denunciou os sócios-administradores da Telexfree no Brasil, Carlos Roberto Costa e Carlos Nataniel Wanzeler, pelo desenvolvimento de atividades clandestinas de telecomunicações no país.

Em fevereiro, a empresa de consultoria Ernst & Young apresentou à Justiça uma perícia independente sobre as atividades da Ympactus. Agora, a Ympactus pede que a consultoria seja afastada do caso, e que outra empresa independente seja contratada para produzir o laudo.

James Merril

Carlos Wanzeler, de lavador de pratos a sócio da TelexFree

Carlos Wanzeler

Conheça a história do idealizador da pirâmide financeira que está foragido da Justiça americana. Ele é acusado de operar, junto com James Merrill, um esquema fraudulento de US$ 1 bilhão

Carlos Wanzeler, de lavador de pratos a sócio da TelexFree

De lavador de pratos em restaurantes a sócio de uma empresa que pode ter movimentado mais de 1 bilhão de dólares no Brasil e nos Estados Unidos. A trajetória que poderia ser a história de sucesso de um brasileiro, na verdade, está próxima de um fim trágico. O capixaba Carlos Wanzeler, 45 anos, é o idealizador da TelexFree, uma companhia que afirmava vender serviços de telecomunicação por VoIP (Voz sobre Protocolo de Internet). No entanto, investigações mostram que o negócio era apenas a fachada para um esquema conhecido como pirâmide financeira. Nesse tipo de fraude, a sustentação financeira vem da entrada de novos participantes (que pagam uma taxa de adesão) e não da venda dos produtos. Desde a sexta-feira, 9 de maio de 2014, ele é considerado foragido pela Justiça americana. Sua esposa, Katia Wanzeler, foi presa na noite de 07 maio 2014, no aeroporto de Nova York ao tentar deixar o país.

Em 1988, aos 19 anos, Wanzeler foi morar nos EUA e começou a trabalhar em dois restaurantes lavando pratos. Eventualmente fazia o turno da noite como zelador do UMass Memorial Medical Center. Em 1993 sua mãe, irmã e irmão mudaram-se de Vitória, Espírito Santo, para Massachusetts. Quando procurava emprego em companhias de limpeza para sua família, Wanzeler conheceu, por acaso, o empresário americano James Merrill, com quem foi trabalhar posteriormente. Eles acabaram se tornando sócios de uma empresa de limpeza que, no auge, chegou a ter 40 clientes corporativos e faturar 800 mil dólares.

telexfree_presidente

carlos costaSegundo informações levantadas pela Securities and Exchange Commission (SEC), órgão que regula o mercado financeiro americano, e divulgadas pelo jornal Boston Globe, o brasileiro é o idealizador da TelexFree. As autoridades do país acreditam que ele também tenha deixado o país e está no Brasil. Wanzeler e Merrill, detido na semana passada, são acusados de operar o esquema de pirâmide de 1 bilhão de dólares. Se condenados, os executivos podem pegar até vinte anos de prisão.

Processos nos EUA.

A empresa foi formalmente acusada nos EUA de atuar sob um esquema de pirâmide financeira, com foco em imigrantes brasileiros e dominicanos nos EUA, e teve seus bens bloqueados. O esquema teria movimentado US$ 1,1 bilhão no mundo, segundo a acusação.

aviso de fechamento brasil

Nos EUA, um dos seus fundadores, o norte-americano James Merrill, foi preso em Massachusetts (sede da Telexfree nos EUA) e encontra-se em prisão domiciliar, acusado de comandar o esquema ao lado do brasileiro Carlos Wanzeler.

Wanzeler que morava em Massachusetts está no Brasil, segundo seu advogado, e é considerado foragido nos EUA.

Deputado afirma que a TelexFree é usada por Deus para abençoar os pobres

Por incrível que pareça, não são apenas os membros comuns que aderiram a esse “Esquema”, muitos pastores brasileiros  no Brasil e nos U.S.A. também entraram nesta onda, e até levaram para apresentar aos membros de suas igrejas.
Com isso, quem duvidava da presença de Deus em jogos de azar e transações financeiras  começou a pensar em mudar de opinião.
Além disso, recentemente o deputado evangélico Astério Moreira (PEN) usou as redes sociais para anunciar a boa nova que a Telexfree e BBom, empresas de marketing multinível, são oportunidades divinas para quem quer ganhar dinheiro.
Astério Moreira fez um testemunho de milagre alcançado através da fé e ao final de seu post destacou que o investimento na Telexfree e BBom é a oportunidade pela qual os fieis oraram e esperaram alcançar para melhorar de vida.
“Pois é, a pessoa passa anos orando, pedindo, chorando a Deus uma oportunidade para melhorar sua vida financeira, de sua família, deu seus amigos. Veio a TelexFree e a BBOM, seu emprego, seu trabalho, sua pequena empresa. Deus não vai abrir as janelas do céu e derramar moedas de ouro na cabeça de ninguém. Também não vai aparecer milagrosamente na sua conta, da noite para o dia, uma fortuna. Aproveite as oportunidades que Deus lhe oferece agora, já! Esperando o quê!!??”, profetiza Astério Moreira.
famosos que se envolveram com a telexfree
Mas…. Para um bom brasileiro, tá ruim mas tá bom.  Com base nesta premissa, reunimos alguns conteúdos engraçados e até criativos relacionados à telexfree, (ou TelexFria como alguns diziam).
piada
piada 2
piada 3
piada 4