Admilson Brum quer acabar com ‘boa vida’ dos vereadores

Admilson-500x352O vereador Admilson Brum (PP), de Barra de São Francisco, apresentou um projeto polêmico na câmara municipal, propondo o fim do recesso parlamentar de 15 dias.

Para conseguir mudar a lei, que prevê os 15 dias de recesso em julho, precisava que pelo menos dois vereadores assinassem para que a mudança pudesse acontecer. Dois vereadores, Antônio Morais e Dr. Aloisio Alves assinaram e em seguida foi protocolado naquela casa de leis.

Após dar entrada do projeto para acabar com a ‘boa vida’ dos vereadores, aconteceu o que já era previsto, Admilson Brum começou a sofrer ataques, até mesmo de seus companheiros.

Admilson Brum já deixou claro que defenderá seu projeto e vereador que quiser ter uma câmara de respeito e ter seus pedidos atendidos tem que começar moralizando a casa. Se o trabalhador que presta serviços 8 horas por dia, ganha salário mínimo e tem apenas 30 dias de férias durante o ano, por que vereador tem 30 dias em janeiro mais 15 dias julho?”, questionou Admilson.

Isso é uma falta de respeito com o servidor público”, aliás Admilson Brum entende que o vereador também é um servidor público e tem que dar exemplo. “O vereador é um empregado do povo a quem deve dar satisfação, infelizmente já existe vereador que pensa de outra maneira”, lamenta Admilson. “A maioria dos vereadores tem outro serviço”, destacou.

“Reunimos quatro vezes por mês, ganhamos R$ 6 mil reais e com desconto volta para R$ 4.800,00. Defenderei o projeto, cada um tem o direito de ficar a favor ou contra, porém não aceitarei ataques a minha pessoa e responderei a altura, seja quem for, pois estou vereador e entrei na casa de leis para fazer a coisa certa e não serei conivente com coisas erradas”, finalizou o vereador.

Essa deve ser mais uma das atitudes de Admilson Brum a não agradar a maioria na câmara, principalmente o presidente da casa, vereador Juvenal Calixto Filho(PPS), que deve estar perdendo o sono desde que Admilson Brum assumiu como vereador.

Leia também:

Justiça coloca Juvenal, Carlim da dengue e Cia. em seus devidos lugares

Com câmara lotada, vereador Juvenal é vaiado ao ameaçar cortar o microfone de Admilson Brum

Juvenal se defende de acusações e diz que funcionário não é fantasma