‘Se não for corrupto, ele mal se sustenta’, diz vereador sobre salário

DSC08362O vereador Odilon Rocha Sanção (SDD), de Parauapebas, no Pará, causou polêmica na sessão do dia 24 de abril, quando disse que o salário de R$ 10 mil é “insignificante”. Na tribuna da Assembleia Legislativa do município, ele questionou o salário dos vereadores e disse que, “se não for corrupto, ele (o vereador) mal se sustenta”.

– Eu nunca tinha pensado na minha vida e eu pensei seriamente se vale a pena ser vereador ou se não vale a pena. Gente, tem coisas que é insignificante em função da outra (sic). O valor que o vereador ganha aqui, se ele não for corrupto, não tenha nenhuma dúvida que ele mal se sustenta durante o ano, durante o mês – afirmou.

O vídeo com as declarações de Sanção, que cumpre seu quinto mandato como vereador, viralizou nas redes sociais e foi alvo de reclamação de moradores da cidade.

Os vereadores de Parauapeba recebem o valor bruto de R$ 10.013, o que equivale a 12 salários mínimos. Somando os proventos brutos às ajudas de custo mensais, como verba para despesas com combustível (R$ 2.800) e telefone (R$ 1.000), o salário chega a R$ 13.813, ou nada menos que 17 salários mínimos. Os políticos ainda têm direito a uma caminhonete alugada pela Câmara e diárias para viagens, que variam de R$ 300 a R$ 800 por mês.

Nesta quinta-feira, Odilon Rocha Sanção tentou se explicar, mas voltou a dizer que, com o salário, “mal dá para sobreviver”:

– O vereador, para sobreviver com o salário de R$ 7.800 (valor depois dos descontos) aqui dentro desta casa, com o padrão de vida que depois de eleito ele tem e não é só eu, a gente dá mal para sobreviver – disse ao G1.

https://www.youtube.com/watch?v=emRE3FLY23A