Professores ficam divididos, alguns deixam a greve e voltam aos trabalhos. Alunos do João XXIII e Polivalente já tiveram aula nesta quarta-feira (23)

assembl_passeata_8abril-6Conhecida por muitos como a classe mais desunida, os professores entram em conflito de ideias novamente, dessa vez, sobre a greve.

Nesta quarta-feira, 23 de abril de 2014, em Barra de São Francisco, alguns professores voltaram a trabalhar, contrariando a outra parte que continua em greve.

Colegas professores desinformados se foi em assembléia que decidiu entrar de greve é pela assembléia que decide se voltaremos..nem ouvimos a proposta do governador ainda pq estão anunciando que voltaremos.. eu e a maioria dos meus colegas que são a favor da permanência da greve não participou de nenhuma reunião onde decidiu pela volta.. então professor pare de decidir as coisas por você!!!”, comentou o professor Temir Costa.

Leia também:

Professores da Rede Estadual mantém greve

Governo consegue na justiça liminar para suspender greve dos professores

Professores do Polivalente e João XXIII em greve a partir desta segunda-feira (14)

SiteBarra+Barra+de+Sao+Francisco+IMG-20140410-WA00120Na escola João XXIII e no Polivalente, alunos voltam aos poucos a estudar, em horário especial, já que nem todos os professores estão na escola. Um horário provisório foi feito para atender os professores que decidiram não continuar com a greve.

O que mais divide os professores é a insegurança. Alguns estão em período probatório e temem ter pontos cortados e futuramente pesar em sua efetivação. Outros são funcionários DTs, que temem ser demitidos e enfrentar dificuldade nos próximos anos para conseguir vaga na rede estadual.

“…nessa hora muitos se acovardam e outros pela sua falta de qualificação profissional e não estou falando falta de diploma pois isto é fácil ter falta de competência mesmo pois se estivessem na iniciativa privada nem esse mísero salario ganhariam estes estão satisfeitos. Mas os que são competentes e que são dedicados têm mais é que ir à luta mesmo e lutar por respeito“, comenta o professor Péricles José Ferreira.

A outra parte, que continua com a greve, são, em sua grande maioria, professores efetivos. Professores mais antigos dizem que a Sedu sempre agiu assim, com ameaças e cortes de ponto. Eles afirmam que a greve só tem fim após uma assembleia. Essa assembleia, que decide se continuam ou não com a greve, aconteceu nesta quarta-feira (23).

“Assembleia de professores nessa quarta decidiu MANTER a greve por tempo indeterminado”,  publicou em sua página do Facebook o professor Rafael Lanschi.

“estou com a minha categoria….e não sou contra ela…”, finalizou Rafael.

Portanto, alunos da Escola João XXIII e da Escola Polivalente, já podem voltar as aulas, pois alguns professores já estão em sala de aula lecionando. Quanto as outras disciplinas, que os professores estão em greve, será definida ainda a data para reposição.