Sobre Copa de 2014, Ronaldinho avisa: “Se eu estiver bem, ainda vou ter chance”

SiteBarra+Barra+de+Sao+Francisco+brasilXinglaterra2002-jpg_1843450Tudo parecia inevitável. O cenário era perfeito. Ronaldinho Gaúcho estava tendo boas atuações com a camisa do Atlético-MG e uma convocação para defender a seleção brasileira na Copa das Confederações era muito provável. O meia voltaria para a Amarelinha e apagaria o vazio de não disputar a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. Ele estava “comendo a bola” ou “voando em campo”, como diz as gírias do futebol.

Pode-se dizer que Ronaldinho estava desfilando o bom e velho futebol que o consagrou no Paris Saint-Germain e no Barcelona. Contudo, a não presença do nome do craque na lista dos 23 atletas convocados pelo técnico Luiz Felipe Scolari pegou todos de surpresa e Ronaldinho estava fora da competição. O jogador admitiu que não esperava estar de fora entre os escolhidos por Felipão para vestir a camisa Verde-Amarela na competição.

“Sim. Como vocês falaram, acho que todo mundo estava esperando, pelo meu momento, pelo momento que está vivendo o meu clube. Então, até hoje, em todo lugar que passo, todo mundo fala: “Pô, injustiça!” Mas estamos aí, torcendo para que tudo dê certo”, revelou em entrevista a revista Playboy.

Grande ausência da lista, R10, apesar de fora da competição, disse ter ligado para Scolari após a divulgação oficial dos nomes.

“Falei com o Felipão na última convocação. Nós jogamos contra o Chile, no Mineirão, e nós conversamos e tal. E, depois dali, a convocação seguinte já era para a Copa das Confederações, então até agora ainda não nos falamos, mas tive a oportunidade de ligar para ele e desejar sorte. Quero ter a possibilidade de mandar só energia boa”, garantiu.

Mundial de 2014 e explicação sobre 2006

A transferência de Ronaldinho para o Atlético surgiu como uma motivação a mais para o craque. Vivendo a melhor fase da carreira depois que voltou para o Brasil, o campeão da Libertadores de 2013 avisou que ainda pensa em disputar a Copa do Mundo de 2014, no Brasil. R10 disse que sempre estará à disposição da camisa Canarinho.

“Acho que futebol é feito de momento. Se até lá eu estiver bem e as coisas estiverem andando muito bem, ainda vou ter chance. Enquanto a Seleção não fechar as portas para mim e eu também decidir estar à disposição, vou sempre me esforçar para defender o Brasil”, salientou.

Um dos atletas que defendeu o Brasil no Mundial de 2006, na Alemanha, Ronaldinho analisou a participação do grupo na competição. Na ocasião, a Seleção foi eliminada nas quartas-de-final pela França, após perder por 1 a 0, gol de Thierry Henry.

“A gente chegou em 2006 como a grande sensação, todos achavam que íamos ganhar de qualquer jeito, que seria fácil. Mas na preparação, não. Nos treinamentos, todo mundo se dedicava muito, dava o máximo porque sabia da dificuldade que ia encontra, não teve problema de bagunça”, frisou.