Cervejaria Ambev é a empresa mais valiosa da América Latina, aponta estudo

ambevA cervejaria brasileira Ambev é a empresa mais valiosa da América Latina, segundo estudo da consultoria Economatica divulgado nesta quinta-feira (3). A empresa terminou o ano de 2012 com valor de mercado de US$ 129,3 bilhões (R$ 264,2 bilhões), valorização de 40% em relação aos R$ 187,5 bilhões avaliados em 2011.

Em segundo lugar no estudo ficou a petroleira Ecopetrol, da Colômbia, com valor de mercado de US$ 126 bilhões, seguida da Petrobras (US$ 124 bilhões) e da Vale (US$ 105 bilhões).

Outras empresas brasileiras entre as dez mais valiosas do continente são o Itaú Unibanco (US$ 71 bihões), o Bradesco (US$ 64,5 bilhões) e o Banco do Brasil (US$ 35 bilhões).

Além da Ambev, outras empresas brasileiras com forte valorização ao longo de 2012 foram a CCR (59,1% e valor de mercado de R$ 34 bilhões), a Natura (crescimento de 62,10% e valor de mercado de R$ 25,1 bilhões) e a Sabesp (crescimento de 66,9% e valor de mercado de R$ 19,7 bilhões).

Varejo em alta, petróleo em baixa

Segundo o relatório da Economatica, o setor de Alimentos e Bebidas, que no final de 2011 tinha R$ 261,6 bilhões de valor de mercado, fechou 2012 com R$ 355,4 bilhões, ou seja, crescimento de 35,8%. Outros setores com crescimento expressivo em 2012 no Brasil foram Comércio (57,7%), Papel e Celulose (96,7%), Software (38%), Têxtil (39,9%) e Veículos e Peças (34,5%).

Os destaques negativos ficaram por conta dos setores de Energia Elétrica e Petróleo e Gás. O primeiro, formado por 35 empresas no estudo da Economatica, teve redução de valor de 17,3%, caindo de R$ 209,1 bilhões em 2011 para 173,1 bilhões em 2012.

O setor de Petróleo e Gás teve redução ainda maior, de 19,7%. Em 2011, as seis empresas do setor valiam R$ 349,6 bilhões. Em 2012, esse valor caiu para R$ 280,7 bilhões.

Entre as empresas destes setores, a OGX Petroleo, de Eike Batista, e a Eletrobras tiveram desempenho particularmente ruim. A primeira perdeu 67,8% do valor de mercado em 2012, caindo de R$ 44 bilhões para R$ 14,1 bilhões. A Eletrobras caiu de 26,5 bilhões em 2011 para 9,6 bilhões em 2012, uma queda de 63,5% no ano.

A Petrobras perdeu 12,5% de seu valor de mercado, caindo de R$ 291,5 bilhões para R$ 254,8 bilhões.