Menina de 4 anos debaixo da cama na boca de fumo

Enquanto a população, ainda sem saber o que estava acontecendo, parou para ver passar o comboio das forças de segurança para cumprir mais de 60 mandados judiciais de busca e apreensão e de prisão em Pinheiros e Pedro Canário, o fato que mais chamou a atenção e até sensibilizou os policiais envolvidos na operação aconteceu em Pinheiros.

Ao chegarem, ainda ao amanhecer do dia, a um dos endereços para cumprir um mandado de busca e apreensão e dar o flagrante de tráfico de drogas, os policiais acharam a casa vazia. Mas, ao vasculharem o ambiente, encontraram, escondida debaixo de uma das camas, uma criança do sexo feminino de apenas 4 anos.

Na casa, segundo a polícia, funciona um ponto de distribuição de drogas. O pai da menina está preso, a mãe e um tio fugiram antes de a polícia chegar e a criança ficou sozinha no local, se escondendo debaixo da cama.

Numa outra casa, uma menor foi apreendida pela polícia tomando conta de uma casa, que também serve de ponto de tráfico. “A mãe dela foi visitar um outro filho, que está preso, e escapou de ser apanhada, mas ainda estamos à procura dela”, disse o chefe de Polícia, delegado Joel Lyrio.

“A situação é grave”, disse o juiz José Flávio D´Angelo Dalcure.”Os traficantes, normalmente, escondem as drogas na casa dos vizinhos, sob ameaças, e quando a polícia chega não encontra nada. Também usam muito os menores de idade, porque o tempo máximo de um menor ficar preso é 45 dias. A situação está fugindo ao controle”.

Por causa disso, tanto o delegado Joel Lyrio quanto o coronel Ronalt William garantiram que a polícia chegou para ficar. “Estamos trabalhando para conter e diminuir o índice de violência em Pinheiros. Vamos reforçar os efetivos da Polícia Civil e da Polícia Militar em Pinheiros, reforçar a segurança e manter a ordem”, disse Lyrio.

O coronel da PM pediu ajuda da população: “Quem entende de segurança é a polícia, mas quem entende de insegurança é a sociedade. Pedimos à população que nos ajude dando as informações para prendermos os criminosos. O reforço da segurança é ponto pacífico, porque isso é necessário”.