Magistério capixaba se mobiliza por melhorias na educação

Os professores do magistério do Estado organizaram mobilizações durante esta semana para cobra do governo e das prefeituras locais bandeiras de luta da categoria que ainda não foram atendidas. As mobilizações incluem assembleias, passeatas e atos públicos para sensibilizar o executivo estadual e os municipais para as demandas da categoria. Uma dela é a aplicação do piso salarial nacional para o magistério.

O piso nacional faz parte do Projeto de Lei do Plano Nacional de Educação, paralisado na Câmara dos Deputados. O piso nacional foi promulgado em 2008 e considerado constitucional pelo Supremo Tribunal Federal em 2011, mas ainda não foi adotado pelo Estado e pela maioria das prefeituras.

Outra bandeira dos professores que deve ser cobrada durante as manifestações é a gestão democrática nas escolas, teve Projeto de Lei vetado ainda na gestão Paulo Hartung, que impediu que houvesse eleições diretas nas escolas estaduais. Para o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado (Sindiupes) a eleição direta é o marco fundamental da gestão democrática.

Na próxima quinta-feira (15) os professores da rede estadual realizam uma assembleia seguida de ato público no Centro da capital para cobrar as demandas. As assembleias também vão ser realizadas na Grande Vitória, com os magistérios municipais.

Além da gestão democrática e da adoção do piso salarial nacional, os professores também endossam o investimento de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) em educação pública, gratuita e de qualidade.