Ano letivo nas escolas municipais de Colatina começou com vários problemas

 

Problemas repetidos

O início do ano letivo em Colatina começou com os problemas que se repetem a anos no município, segundo representante do SISPMC, são demandas não cumpridas e como consequência traz dificuldades e prejuízos a alunos, professores e familiares.

No dia 5 de fevereiro começou o ano letivo para os alunos do município de Colatina, neste ano com um problema grave, faltam professores em alguns setores do ensino público do município. Determinados projetos ainda não tem os profissionais que possibilitam os professores desenvolverem seus planejamentos.

“As aulas começaram sem as coisas estarem prontas”. Revela a Diretora do Sindicato dos Servidores Municipais de Colatina. Iranilda Pereira.

A falta de estagiários, professores que acompanham os alunos especiais e servidores de outros setores que estão contribuindo com outros afazeres na escola, como é o caso de A.S.G (auxiliar de serviços gerais que lida com a limpeza e organização dos ambientes de uma instituição de ensino). Relata Iranilda.

Outro ponto que é lembrado pelos professores do município de Colatina é a questão relacionada a implantação dos aparelhos de ar condicionado que o Prefeito Sérgio Meneguelli comunicou via redes sociais que seriam colocados nas salas de aula. Segundo Iranilda não foi realizado o compromisso feito pelo prefeito. Outro compromisso que os professores estão cobrando é a questão do aumento salarial, também divulgado amplamente pelo prefeito Meneguelli e que até então não foi concretizado.

Se não bastasse, um outro problema que ocorre é com sistema de lista de espera da Secretaria de Educação. Ainda a crianças sem matrículas. Uma questão que está revoltando alguns pais é que o “sistema” lança o nome de quem mora em um determinado bairro para escola que está localizada em outra região, ou seja, distante se sua residência. “Eu não vou ter condições de pagar a Van pro meu filho, não sei o que fazer”, relata mãe que ainda não conseguiu resolver a situação de seu filho em uma escola municipal.

Reformas não feitas, compromissos não cumpridos, falta de professores e atrasos em serviços básicos educacionais. São características rotineiras no sistema de ensino público brasileiro, mas que segundo professores e a entidade sindical poderia ser diferente no município de Colatina.

O outro Lado:

Em nota a Secretaria de Educação de Colatina relatou que o ano letivo de 2020 teve início no dia 5 de fevereiro nas escolas da rede municipal de ensino com aproximadamente 15.000 alunos matriculados.

VAGAS:

A Secretaria de Educação ainda dispõe de 1.973 vagas existentes em algumas escolas da rede, sendo:* 126 vagas para Educação Infantil (0 a 3 anos);* 184 vagas para Educação Infantil (4 e 5 anos) e* 1663 vagas para o Ensino Fundamental.

As convocações para as referidas vagas acontecem às segundas e quartas-feiras para as famílias que realizaram cadastro na lista de espera.

ESTAGIÁRIOS:

Já foram selecionados estagiários para atuarem como acompanhantes de alunos com deficiência dando continuidade ao atendimento de demandas identificadas nas escolas.Alguns contratos ainda não foram assinados em virtude do não comparecimento do candidato ou por pendência na apresentação da documentação exigida.

Fonte: Folha Vitória