Empresa começa a recolher entulho de prédio que desabou em Vitória

Desabamento aconteceu na madrugada de quarta-feira (15) e não deixou feridos. Expectativa é de o trabalho seja totalmente finalizado até o fim da sexta-feira (17).

Por Elton Ribeiro, G1 ES e TV Gazeta

Limpeza começa a ser feita no que sobrou de prédio que desabou em Vitória

Limpeza começa a ser feita no que sobrou de prédio que desabou em Vitória

A limpeza do que restou do prédio que desabou no Centro de Vitória começou a ser feita na manhã desta quinta-feira (16). De acordo com o responsável pela empresa que faz o trabalho, o serviço deve continuar até o início da noite e a expectativa é que seja totalmente finalizado até o fim da sexta-feira (17). O desabamento aconteceu na madrugada de quarta-feira (15) e não deixou feridos.

Desde cedo, uma máquina retroescavadeira faz o trabalho de limpeza. Primeiro, muita madeira usada na estrutura foi tirada e colocada em um caminhão. Depois, a máquina começou a derrubar o que ainda estava de pé.

O responsável pela empresa que está retirando o material disse que a prioridade agora é deixar a Rua Sete de Setembro limpa, sem todo aquele entulho. A máquina deve continuar sendo usada até o início da noite.

Desabamento

O prédio de dois andares veio abaixo por volta das 5h20, na Rua Sete de Setembro, no Centro de Vitória. Ninguém se feriu. A rua foi interditada porque, segundo a Defesa Civil, ainda há risco de outras paredes do prédio desabarem, mas não há risco para os imóveis vizinhos.

Condições do prédio

Embora vizinhos tenham contado que o prédio estava abandonado há cerca de 10 anos, o representante dos proprietários, Délio dos Santos, negou o abandono. Os donos tinham um restaurante no local, mas fecharam o empreendimento e se mudaram para outro Estado.

“Falar abandonado está errado. O imóvel estava fechado. Nos últimos cinco anos, existem laudos de vistoria do imóvel, onde eles [prefeitura] encontravam algum tipo de irregularidade, pediam para fazer limpeza, retirada de entulho. Em todas as situações, o proprietário atendeu, dentro dos prazos”, disse Délio.

Vistorias

De acordo com a Prefeitura de Vitória, em 2013, o dono do prédio foi intimado a reformar o espaço e garantir a segurança do imóvel. Na época, ele foi multado em R$ 622,59.

O representante dos proprietários do prédio afirmou que o imóvel passou por vistorias da prefeitura nos últimos anos. Segundo ele, a única notificação que tem conhecimento é sobre o pedido de retirada da marquise, há cerca de dois anos, que foi atendida.

Mas, de acordo com a prefeitura, a última vistoria no prédio aconteceu e abril de 2019 e foi de uma visita do Centro de Vigilância e Saúde, e não vistoria estrutural.