Chuva coloca do Sul do ES em alerta máximo; em Alfredo Chaves, casal de idosos morreu soterrado

A enchente, que começou nesta sexta-feira (17), também já inundou ruas, invadiu casas e arrastou carros e árvores.

Carro foi arrastado pela água da chuva em Iconha, no Sul do ES

Carro foi arrastado pela água da chuva em Iconha, no Sul do ES

Os municípios de Iconha, Alfredo Chaves, Marechal Floriano e Vargem Alta estão em alerta máximo em função da chuva forte que atinge o Sul do Estado e que vem provocando estragos desde esta sexta-feira (17). De acordo com informações da Defesa Civil, a forte enchente já provocou a queda de barreiras, desabamento de estruturas e alegamentos de ruas e de casas. Até o momento, duas vítimas foram confirmadas. Trata-se de um casal de idosos, que morreu em um desabamento em Alfredo Chaves.

Alfredo Chaves foi o município onde mais choveu no Espírito Santo nas últimas 24 horas, com 249.2 milímetros de chuva. O Rio Benevente, que corta a cidade transbordou, inundando ruas e deixando moradores desalojados.Os bairros mais baixos da sede da cidade, das comunidades de Cachoeira Alta, Matilde, São Bento de Urânia e alguns trechos que ligam o centro da cidade a BR 101 estão alagados

No bairro Cachoeirinhas, sentido Matilde, uma casa desabou, deixando três pessoas soterradas. Uma delas foi resgatada com fraturas, mas as outras duas, que seriam um homem e uma mulher idosos, ainda estão debaixo dos escombros. A família das vítimas afirma que os bombeiros ainda não chegam ao local e moradores estão se mobilizando para ajudar.

No município de Iconha, um caminhão frigorífico foi arrastado pelas águas e uma passarela desabou. No centro da cidade, carros e árvores foram arrastados pela correnteza. Até mesmo o Hospital Danilo Monteiro de Castro ficou inundado até o segundo pavimento.

O governador Renato Casagrande chegou ao município na manhã deste sábado (18) para acompanhar os trabalhos da Defesa Civil Estadual.

Até o momento, 34 pessoas tiveram que deixar suas casas. Na cidade de Vargem Alta, que ainda se recupera pelos estragos deixados pela chuva que caiu no dia 3 de janeiro, 24 pessoas estão desabrigadas.